Visite o site do Pueri Domus

Blog do Pueri Domus

Como fazer máscara de proteção caseira com camiseta

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

A utilização de máscaras de proteção é uma recomendação de cientistas e dos órgãos de saúde para complementar os cuidados que as pessoas devem ter na prevenção contra o Coronavírus. No entanto, não é necessário se arriscar na rua para adquirir o equipamento, nem esvaziar os estoques. Dá para fazer em casa, de maneira rápida e simples, inclusive com a participação de toda a família.

De acordo com o Ministério da Saúde, para que a máscara seja eficiente, é preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano. Quanto ao tecido, o ideal é que seja de algodão, tricoline, TNT ou outros, desde que seja desenhada e higienizada corretamente.

A máscara deve ser de uso individual e cada pessoa da família deve ter pelo menos duas, e elas devem ser trocadas a cada duas horas. Para higienizá-las, basta lavar com água e sabão ou água sanitária, deixando de molho por 20 minutos. Para que a máscara seja eficiente, ela deve cobrir totalmente a boca e o nariz, ficando bem ajustada ao rosto, sem espaços nas laterais.

Dica: Você pode personalizar sua máscara usando canetinhas e/ou tinta própria para tecido.

 

Atenção: A máscara caseira é uma medida complementar aos cuidados na prevenção contra o Coronavírus. Não deve substituir a higiene constante das mãos e o isolamento social.

 

————————————————————————

 

How to make a homemade face mask out of a T-shirt

Wearing a face mask is recommended by scientists and health agencies as an additional prevention measure against coronavirus. However, there is no need to take risks by going out to buy one, or to contribute to deplete existing stocks. You can make it at home, quickly and simply, with the help of the whole family.

 

According to the Brazilian Ministry of Health, an efficient mask must have at least two layers of cloth. As for fabric, the best are cotton, tricoline, TNT or others, as long as the mask is designed and sanitized correctly.

 

The mask must be for individual use and each person in the family must have at least two, changing them every two hours. To sanitize, just wash them with soap and water or bleach, letting them soak for 20 minutes. To be effective the mask must completely cover mouth and nose, fitting well to the face, with no loose areas at the sides.

 

Tip: You can personalize your mask using markers and/or fabric paint.

Caution: The homemade mask is a complementary prevention measure against coronavirus. It should not replace regular hand hygiene and social istancing.

Precisou sair? Saiba como evitar a contaminação ao chegar em casa

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

A orientação é: fique em casa! Mas quem trabalha em serviços essenciais, por exemplo, não tem opção. E, em algumas situações, acaba sendo inevitável dar uma saidinha rápida, seja para ir ao mercado, à padaria, à farmácia ou ao consultório médico.

Nesses casos, além de fazer do frasquinho de álcool em gel seu companheiro inseparável, alguns cuidados com a higiene ao retornar da rua são fundamentais para evitar a transmissão do Covid-19. Separamos algumas dicas:

  1. Ao chegar em casa, tire os sapatos e não toque em nada sem antes se higienizar com álcool em gel;
  2. Tire as roupas que estava usando na rua e coloque-as diretamente no cesto de roupas sujas, ou mesmo na máquina de lavar. Em seguida tome um banho. Antes disso, evite contato físico com os demais moradores da casa;
  3. Se você saiu com o seu bichinho de estimação, desinfete as patas do animal antes de deixá-lo entrar em casa;
  4. Cuidado com a bolsa! Durante a sua saída, ela pode ter encostado em superfícies contaminadas. Você pode limpá-la com álcool 70% ou mesmo passar um paninho com água e detergente. Separe um lugar específico onde possa guardá-la, como uma caixa ou mesmo pendurada em um cabide para que evite contato com outros acessórios;
  5. Limpe seu celular e óculos com água e sabão ou álcool;
  6. Higienize todo objeto que tocar. Assim que entrar em casa, limpe a maçaneta da porta e faça o mesmo com qualquer objeto que tenha tocado antes de se higienizar;
  7. Limpe tudo que trouxer do mercado. Parece exagero, mas é importante higienizar também tudo o que vier de fora: caixas de leite, latas, vidros, embalagens no geral. Na medida do possível, lave tudo com água e sabão antes de guardar na despensa;
  8. Mantenha sua casa limpa, independente se saiu ou não. Varrendo o chão diariamente e passando um pano úmido com um desinfetante comum, você diminui ainda mais as chances de contaminação.

____________________________________

Gone out? Learn how to avoid contamination when you come back

 

The recommendation is: stay at home! But workers in essential services, for example, have no choice. And at some point it is unavoidable to pop out, whether to go to the market, the bakery, the drugstore or the doctor’s.

In these cases, besides having a bottle of hand sanitizer with you at all times, taking a few precautions when your return home is essential to avoid the transmission of Covid-19. We have listed a few tips:

  1. When you get home, take off your shoes and don’t touch anything without first sanitizing your hands;
  2. Take off the clothes you are wearing and put them straight into the laundry basket or washing machine. Then take a shower. Before that, avoid physical contact with the other residents of the house;
  3. If you went out with your pet, disinfect the animal’s paws before letting it into the house;
  4. Mind your handbag! It may have touched contaminated surfaces. You can clean it with 70% alcohol or even wipe it with water and detergent. Set aside a specific place to store it, such as a box or even a hanger to avoid contact with other accessories;
  5. Wipe your cell phone and glasses with soap and water or alcohol;
  6. Sanitize everything you touch. As soon as you enter the house, clean the door handle and do the same with any object you have touched before sanitizing your hands;
  7. Clean everything you bring from the market. It may seem an exaggeration, but it is also important to sanitize everything that comes from outside: milk cartons, cans, glass containers, packaging in general. As far as possible, wipe everything with soap and water before storing;
  8. Keep your home clean, whether you went out or not. By sweeping the floor daily and wiping it with a damp cloth and common disinfectant, you further reduce the chances of contamination.

Como organizar a rotina de estudos e trabalho em casa

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Ainda não se sabe por quanto tempo teremos que permanecer em casa por causa do Coronavírus. Por isso é importante organizar e manter uma rotina, tanto as crianças e jovens em fase escolar, quanto os adultos que estão fazendo home office – muitos pela primeira vez.

Algumas estratégias podem ajudar a manter o foco e a produtividade nos estudos e no trabalho mesmo com todas as tarefas simultâneas e os inúmeros meios de distração disponíveis em casa. Elencamos algumas dicas:

Estudos

– Reserve um lugar da casa tranquilo, silencioso e confortável para estudar;

– Defina um horário para os estudos e organize uma agenda que deve ser cumprida;

– No período definido para os estudos, evite proximidade com qualquer coisa que possa desviar o foco, como: TV ligada, redes sociais (a não ser para tirar dúvidas com professores e/ou colegas) etc;

– Não deixe acumular conteúdo. Procure manter as videoaulas (se for o caso) e atividades em dia;

– Faça pausas regulares durante os estudos.

Trabalho

– Acorde no horário habitual e procure manter sua rotina em casa. Vista-se de maneira adequada. Evite trabalhar de pijama;

– Quem está dividindo o espaço com filhos em idade escolar, especialmente com crianças mais novas que precisam da ajuda dos pais para estudarem à distância, tente montar um cronograma com os filhos, distribuindo o tempo entre atividades que eles possam fazer de maneira autônoma e intervalos em que você pode auxiliá-lo e orientá-lo com suas tarefas;

– Aproveite o tempo que levaria para se deslocar ao local de trabalho para ler algo útil e interessante;

– Reserve um espaço tranquilo em sua casa que possa ser exclusivo para o home office. Separe uma cadeira confortável;

– Na medida do possível, faça algumas pequenas pausas, inclusive para exercícios físicos;

– Mantenha contato com as pessoas para não se sentir isolado. Uma ideia é planejar ‘coffee breaks’ virtuais com seus colegas de trabalho.

Se você tiver outras dicas para compartilhar com a nossa comunidade, ou quiser contar como está sendo a experiência de estudos ou trabalho em sua família, comente aqui ou em nossas redes sociais!

____________________________________________________________

How to organize the study and work routine at home

No one knows how long we will still have to stay home because of the coronavirus. That is why it is important to get organized and stick to a routine, both for kids and teens in distance learning and adults working from home – many for the first time.

Some strategies can help you stay focused and productive in your studies and work, even with all the simultaneous chores and numerous means of distraction at home. We have listed some tips:

Studying

– Find a quiet, calm and comfortable spot in the house to study;

– Define your study hours and organize a schedule that must be met;

– During study periods, avoid being close to anything that may divert your attention, such as: noisy TVs, social media (except to ask teachers and/or classmates for help), etc.;

– Don’t accumulate a backlog. Keep up with the video classes (if any) and assignments;

– Take regular breaks during your studies.

Working

– Wake up at the usual time and try to keep to your routine at home. Dress appropriately. Avoid working in pajamas;

– If you are sharing space with school-age children, especially younger ones who need help from parents for distance learning, try to set up a schedule with the children, including time for tasks they can do on their own and breaks in which you can assist and guide them.

– Use the time it would take to commute to work to read something useful and interesting;

– Find a quiet spot at home exclusively for your home office. Choose a comfortable chair;

– As far as possible, take short breaks, including for physical activity;

– Keep in touch with people so you don’t feel isolated. One idea is to plan virtual “coffee breaks” with your colleagues.

If you have other tips to share with our community, or want to tell us about your family’s study or work experience, leave your comment here or on our social media!

Saiba como identificar informações verdadeiras ou falsas em relação à Pandemia

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

No último final de semana circulou pelo WhatsApp um áudio atribuído ao Ministro da Saúde, Luiz Henrique Madetta, afirmando que esta semana seria o período mais crítico em relação à transmissão do Coronavírus no Brasil. O ministro se pronunciou a jornalistas no domingo (22), desmentindo a informação, dizendo que o áudio é ‘fake’ e afirmando que suas falas para a população são feitas apenas por meios oficiais.

 

O fato desperta a atenção em relação ao cuidado que devemos ter ao receber e repassar notícias e dados via aplicativos de mensagens instantâneas e redes sociais. Em meio a tanta informação, fica difícil filtrar o que é verdadeiro e o que não é. Mas algumas dicas podem ajudar a identificar o que é falso e evitar a circulação de Fake News, que geram pânico e desserviço em várias esferas:

 

Avalie a fonte, o site e o autor do conteúdo.

Muitos sites publicadores de Fake News têm nomes parecidos com endereços de sites de notícias. Portanto, avalie o endereço e verifique se o site é confiável. Também veja se outros conteúdos do site também são duvidosos.

 

Avalie a estrutura do texto

Sites que divulgam Fake News costumam apresentar erros de português, de formatação, letras em caixa alta e uso exagerado de pontuação.

 

Preste atenção na data da publicação

Veja se a notícia ainda é relevante e está atualizada.

 

Leia mais que só o título e o subtítulo

Leia a notícia até o fim. Muitas vezes, o título e o subtítulo não condizem com o texto.

 

Pesquise em outros sites de conteúdo

Duvide se você receber uma notícia bombástica que não esteja em outros sites de notícia.

 

Veja se não se trata de site de piadas

Alguns sites de humor usam da ironia para fazer piada.

 

Só compartilhe após checar se a informação é correta

Não compartilhe conteúdo por impulso. Você é responsável pelo o que você compartilha.

 

Fonte das dicas: www.blog.saude.gov.br

 

Em relação ao Coronavírus, especificamente, o Ministério da Saúde criou um canal exclusivo para receber informações virais, que são apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente se são verdadeiras ou falsas: https://www.saude.gov.br/fakenews.

____________________________________________________

Learn how to identify true or false information about the pandemic

 

Last weekend, an audio clip attributed to the Minister of Health, Luiz Henrique Madetta, circulated around WhatsApp, stating that this week would be the most critical period of coronavirus transmission in Brazil. The minister spoke to journalists on Sunday (22) and denied the information, affirming that the audio is “fake” and that he only makes statements to the population through official channels.

 

This fact draws our attention to the care we must take when receiving and passing on news and data via instant messaging apps and social media. Amid so much information, it is difficult to filter out what is true or not. But some tips can help identify what is false and prevent the circulation of Fake News, which generates panic and harm in various areas:

 

Check the source, website and author of the content.

Many websites that publish Fake News have similar names to news websites. Therefore, check the address to see if the website is reliable. Check also whether other information on the site is also questionable.

 

Evaluate the text structure

Websites that publish Fake News tend to have mistakes in spelling, grammar and layout, capital letters and excessive punctuation.

 

Pay attention to the publication date

See if the news is still relevant and up to date.

 

Read more than just the title and subtitle

Read the news to the end. Often, the title and subtitle do not match the text.

 

Search other content websites

Be suspicious of bombastic news that isn’t on other news sites.

 

Check if it’s not a humor site

Some humor sites use irony.

 

Don’t share the information before checking if it’s true

Don’t share content on impulse. You are accountable for what you share.

 

(Source: www.blog.saude.gov.br)

 

Regarding the coronavirus in particular, the Ministry of Health has created an exclusive channel to receive viral information, which is investigated by technicians and officially declared true or false: https://www.saude.gov.br/fakenews.

Projeto Empreendedorismo Social transforma instituição em Extrema/MG

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Empreendedorismo Social (5)

 

Há 8 anos a disciplina Empreendedorismo Social integra a grade curricular da Escola Bilíngue Pueri Domus. Desde então, oito comunidades foram beneficiadas e mais de 700 alunos participaram de transformações em instituições que atendem jovens carentes. Em 2019 foi a vez do Centro de Integração Especial (Crie), filiado à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), de Extrema, em Minas Gerais.

 

Os alunos fizeram duas visitas ao Crie. Na primeira, em maio, se reuniram com representantes da instituição para debater as melhorias possíveis. E na segunda, em junho, colocaram a mão na massa para concretizar as reformas. Com elas, o Centro ganhou um jardim sensorial, nova área de convivência para famílias esperarem enquanto as crianças estão em tratamento, o campinho foi recuperado e o jardim recebeu novas mudas de mata nativa, ação feita em parceria com a ONG Conservadores das Águas.

 

A atividade tem como objetivo estimular os alunos a pensarem no que desejam do futuro e torná-los personagens atuantes na transformação de comunidades carentes, colocando em prática todo o aprendizado conquistado na sala de aula. As visitas às instituições são as aulas práticas e acontecem sempre naquelas que atuam em comunidades.

 

Depois da primeira visita, a de identificação de necessidades, os alunos têm um mês para levantar os recursos necessários para fazer a transformação. “A comunidade também recebe uma tarefa, afinal, a atividade é feita com ela e não para ela”, explica o professor Giuliano Rossini, coordenador de Projetos Sociais do Pueri Domus.

 

Como os estudantes precisam colocar em prática as habilidades empreendedoras, eles não podem comprar nada com recursos próprios e, sim, captar recursos ou doações junto a empresas. No retorno à comunidade, durante três dias eles colocam a mão na massa pintando paredes, limpando áreas, decorando e tudo que for necessário para fazer o sonho acontecer.

 

“Nós definimos introduzir a disciplina na grade curricular do 8º ano porque entendemos que nesta faixa etária é um momento importante do desenvolvimento socioemocional dos jovens. Com 13 anos, eles estão mais egocêntricos, este é o momento ideal para formação de valores e caráter. Então, as aulas de empreendedorismo social e a atividade extraclasse os ajudam a saírem da bolha que vivem, olharem para o lado e conhecerem outras realidades”, explica Giuliano.

 

De acordo com o professor, a matéria é uma sementinha que leva os estudantes a se envolverem cada vez mais com projetos, inclusive dentro da escola. No segundo semestre eles criam projetos sociais de menor impacto, com 100% de autonomia. A apresentação das ações é feita na Estação Cultura, similar a uma mostra cultural que acontece em cada unidade em datas diferentes.

IB Diploma facilita acesso de alunos a universidades brasileiras e internacionais

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

IB

 

Em universidades americanas como as da Carolina do Norte, do Sul da Flórida, Georgia Tech, Drew University, na canadense Universidade de Toronto e em brasileiras como Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e Fundação Getúlio Vargas (FGV), ex-alunos da Escola Bilíngue Pueri Domus utilizaram o IB Diploma para facilitar o acesso às instituições e ao ensino superior.

 

O IB Diploma faz parte dos programas criados pela fundação suíça International Baccalaureate e possibilita que jovens de 16 a 19 anos tenham qualificação internacional, reconhecida por universidades de cerca de 140 países. Desde 2010 a unidade Verbo Divino da Escola Bilíngue Pueri Domus integra a rede de instituições de ensino no Brasil que recebeu a acreditação e, recentemente, as unidades Itaim e Aldeia da Serra também passaram a fazer parte deste seleto grupo.

 

O diferencial do IB Diploma é propiciar aos jovens uma formação mais ampla e focada no desenvolvimento do pensamento crítico, além de preparar o aluno para entrar em uma universidade de primeira linha do país ou em várias partes do mundo. “Ao frequentar as aulas do programa, os estudantes tornam-se mais questionadores e passam a enxergar problemas de diferentes perspectivas, ou seja, desenvolvem habilidades cada vez mais exigidas pelo mercado do trabalho”, explica o diretor da unidade Verbo Divino, Deivis Pothin.

 

DISCIPLINAS

 

São dez as disciplinas que compõem o IB Diploma na Escola Bilíngue Pueri Domus: Português A Linguagem & Literatura, English, Business Management (Gerenciamento de Negócios), Environmental Systems and Society (Sistemas Ambientais & Sociedades), Math (Matemática) e Brazilian Social Studies (Estudos Sociais Brasileiros), Theory of Knowledge – TOK (Teoria do Conhecimento), Extended Essay – EE (Monografia) e Creativity, Activity and Service – CAS (Criatividade, Atividade e Serviço). Desta maneira cria-se um roteiro de aprendizado que ultrapassa o conhecimento acadêmico tradicional brasileiro e leva o aluno a uma imersão em alguns tópicos com maior profundidade.

 

Um exemplo de como isso se dá é a disciplina Creativities, Arts and Sports (CAS). Nesta matéria os alunos precisam desenvolver algum projeto social nas áreas criativa, artística ou esportiva. Ou seja, constroem um olhar mais amplo em relação ao mundo e questões sociais, aprendem na prática conceitos de empreendedorismo social.

 

Aluno de graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas, Bernardo Dias de Aquino Nascimento é um dos ex-alunos da Escola Bilíngue Pueri Domus que cursou o programa IB Diploma. Das 13 instituições de ensino que se candidatou, foi aprovado em 9, entre elas estão as universidades de Minnesota, de Michigan, de Toronto, do Texas, de Washington, da Pensilvânia, de Maryland, além da FGV.

 

“O IB Diploma contribuiu muito na minha formação! O curso foi excelente para eu criar uma rotina de estudos autônoma e estimular minha responsabilidade individual. E também contribuiu no aprofundamento do raciocínio crítico por meio das aulas de TOK (Theory of Knowledge) e na compreensão de que existem coisas muito importantes além do estudo, como o bem-estar físico e a promoção do bem-estar do outro, qualidades estimuladas pelas aulas de CAS (Creativity, Action and Service)”, comenta Bernardo.

 

“Estudo Relações Públicas na Universidade do Sul da Flórida e todo o conteúdo é voltado a pesquisas. O IB me preparou para enfrentar adversidades acadêmicas como a de realização de pesquisas; enquanto outros alunos internacionais não tiveram suporte prévio e têm dificuldade para realizar tal tarefa. Além disso, facilitou muito o entendimento de todas as tarefas, uma vez que eu tinha o domínio da língua inglesa. Através das tarefas extracurriculares e matérias como TOK e CAS, pude abrir a minha mente e entender como posso mudar o mundo e diferentes maneiras de aprender um conteúdo. O IB também fez de mim uma pessoa mais equilibrada”, explica João Pedro Pinto, também ex-aluno da Escola Bilíngue Pueri Domus.

 

Aluna do curso de Administração de Empresas na Universidade da Carolina do Norte, Amanda Witzke ao concluir o IB Diploma no Pueri, se candidatou a várias faculdades no Brasil e nos Estados Unidos. Aqui passou na FGV e no INSPER e nas estadunidenses foi aprovada nas universidades da Flórida, de Minesota, de Indiana, de Pittsburgh, além da que estuda.

 

“Cursar o IB em uma escola no Brasil foi um diferencial porque esse diploma mostra para a universidade que você já foi exposto a um currículo puxado e exigente. Com o IB eu aprendi a trabalhar em um ambiente estressante e de alta exigência. Hoje em dia, percebo que foi muito bom ter essa experiência cedo porque me deparo com situações desse tipo constantemente, tanto na faculdade quanto na vida aqui nos EUA. Desenvolvi minhas habilidades de planejamento, organização e foco e elas são aplicadas à minha vida diária”, conta Amanda.

MAIO AMARELO: Alunos do Ensino Médio são conscientizados em relação a segurança no trânsito

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

No mês de maio é realizado no mundo todo o movimento Maio Amarelo, de conscientização para a redução dos acidentes de trânsito. O objetivo é colocar o tema em pauta para a sociedade, estimulando a participação da população, empresas, governos e entidades. Para fazer sua parte, o Pueri Domus realizou, no último dia 21 de maio, uma ação de conscientização com alunos do Ensino Médio.

 

Maio Amarelo (52)

 

Em parceria com a Younder, empresa do segmento de tecnologia aplicada para Educação e Segurança no Trânsito, a escola reuniu as turmas de segunda e terceira séries no auditório e apresentou vídeos e alguns dados alarmantes. Um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. São três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo.

 

Os acidentes de trânsito são os principais responsáveis por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade. Atualmente, segundo o site oficial do movimento Maio Amarelo, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano, ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país.

 

Após a conversa no auditório, os jovens participaram de uma experiência prática em um caminhão itinerante instalado na própria escola. Por meio de um simulador de trânsito, os alunos ‘dirigiram’ sob condições adversas, como se tivessem ingerido bebida alcoólica. Assim, puderam ter uma visão mais realista das consequências da direção irresponsável.

 

Maio Amarelo (93)

 

‘Por mais que ainda não possuam habilitação, em poucos anos esses jovens já serão motoristas. Por isso, é nosso papel como educadores conscientizá-los para que saibam, desde agora, as consequências de dirigir embriagados ou de qualquer outra maneira irresponsável”, diz Mariluce Lourenço, coordenadora pedagógica do Ensino Médio.

 

Educar para a cidadania também é um dos objetivos da Escola Bilíngue Pueri Domus e a experiência de hoje foi de grande importância para os alunos. “Eles conseguiram entender a importância e a responsabilidade social que se tem ao estar na frente do volante. Essa pode ter sido uma ação pequena, mas com certeza gerou uma reflexão importante nos nossos alunos sobre o assunto”, diz Deivis Pothin, diretor da unidade Verbo Divino.

 

Maio Amarelo (89)

ENTREVISTA: Psicóloga dá dicas para proteger crianças e adolescentes dos riscos das redes sociais

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

E43BECA81660B48B9F3E2753C43FBD4E6433_crianca

 

A internet nos dá acesso a infinitas possibilidades de pesquisa e informação, ajudando inclusive na educação dos nossos filhos. O advento da internet revolucionou a forma como nos informamos e nos comunicamos. Nesse contexto, as redes sociais têm uma participação importante. Atualmente é raro encontrar uma pessoa que não tenha uma conta no Facebook, Instagram, Twitter, YouTube, Whatsapp, entre outros. Estima-se que mais de 1 bilhão de pessoas no mundo utilizem essas plataformas.

 

Mas, ao passo que a internet tem seu lado positivo, ela pode representar uma porta aberta para diferentes tipos de perigos, especialmente para as crianças e adolescentes. Nesse cenário, a família tem papel fundamental para impor limites e blindar seus filhos contra os inúmeros riscos que o ambiente virtual trás.

 

Para ajudar nessa reflexão, a Escola Bilíngue Pueri Domus ofereceu aos pais de alunos da unidade Verbo Divino, na última semana, a oficina ‘Educar em Tempos de Perigos nas Redes Sociais’. A psicóloga e coach Roberta Conte falou sobre os cuidados que as famílias podem ter para proteger e educar seus filhos quanto ao uso das mídias sociais. E concedeu uma entrevista ao Blog do Pueri. Confira:

 

BLOG DO PUERI – Existe idade certa para começar a usar redes sociais?

ROBERTA CONTE – Quando a gente fala em redes sociais, segundo alguns especialistas, a idade ideal para se começar a usar é a partir da pré-adolescência. É óbvio que isso está relacionado a como os pais lidam com a criança ou com o adolescente, e à relação de confiança dessa família. Trabalho há mais de 20 anos com famílias em meu consultório e, mais importante do que dizer sim ou não para o uso de redes socias, é estar atento às relações que estabelecemos dentro de casa. Não podemos colocar nossos filhos numa ‘caixinha’ e falar: é isso, é esse o correto. Cada família, atua e funciona de forma distinta. Levando em conta essa relação é que devemos dizer sim ou não para as redes socias para nossos filhos. Três questões importantes a se pensar:

– Eu, como pai ou mãe, tenho disponibilidade para acompanhar meu filho nas redes sociais?

– Meu filho tem uma relação aberta comigo para me contar sobre o que está acontecendo fora do que meus olhos podem ver?

– É realmente importante para meu filho já ter sua rede social? Quais os benefícios e quais os males que uma rede social pode causar? Discuta com ele esse tema e escute o que ele tem a dizer.

 

BP – Quais os cuidados que os pais devem ter? Quais as questões às quais eles devem ficar atentos?

RC – Todos os cuidados são poucos. Da mesma forma que a internet é muito boa, que nos ajuda em uma séria de questões para que as crianças possam aprender mais e crescer, também existe um lado devastador, inclusive no sentido das emoções. Hoje a gente ouve falar muito sobre grooming, que é a questão da pedofilia nas redes sociais. Então, todo cuidado é pouco. Temos que impor algumas regras ou fazer alguns ‘contratos’ com eles, e um dos mais importantes, para mim como mãe e como profissional, é: nossos filhos não podem acessar a internet com portas fechadas, porque dentro do quarto deles, virtualmente eles podem ‘estar’ numa balada, num jogo violento, num filme impróprio, ou até mesmo acessando sites pornográficos, ou em qualquer outro ambiente que pode ser perigoso. Hoje temos que assumir o diálogo como principal fonte de relacionamento com eles. Não podemos nos constranger com nenhum assunto. Claro que cada faixa etária tem suas dúvidas e questões, mas nós, como pais, devemos nos preparar para conversar e ajudá-los nas dúvidas mais importantes que permeiam a mente das nossas crianças e jovens. Antigamente, quando nós saíamos, nossos pais diziam ‘não fale com estranhos’. E, hoje, nossos filhos podem estar falando com estranhos mesmo dentro do próprio quarto, falando com pessoas que nós nem sonhamos. Então, a atenção, o contato com a realidade deles, o diálogo, as portas abertas, são hábitos que os pais, nos dias de hoje, têm obrigação de ter.

 

BP – Você acha que os pais devem ter as senhas das redes sociais dos filhos?

RC – Eu acho que devem, sim. O que acontece hoje é que nós, pais, estamos muito perdidos.

Não queremos ser chatos e, com isso, estamos esquecendo do principal, que é cuidar das nossas jóias mais preciosas. Já não sabemos impor limites, negociar regras, dar ordem, e até ser rígido quando for necessário. A gente tem medo de colocar limites nos nossos filhos. A gente tem medo de dizer ‘estamos cuidando de vocês’. É de fundamental importância começarmos a trabalhar numa ‘contracorrente’ para fazer exatamente o contrário. A gente tem, sim, que cuidar. Porque cuidar é amar. Dizer, ‘não’ é uma forma de amor. É preparar nossos filhos para aguentarem frustrações futuras, em qualquer área da vida deles. Como é que era o cuidado na nossa época? Nós também não achávamos nossos pais chatos quando eles diziam para não fazer isso ou aquilo, ou para colocar o casaco? A gente achava tudo muito chato. Então, que nossos filhos possam nos achar chatos também, porque isso traduz cuidado, amor e limite. E é isso que fortalece a autoestima e a confiança de uma criança nos próprios pais: é saber que esses ‘pais chatos’ estão cuidando dela.

 

BP – Então é necessário, também, monitorar o conteúdo que os filhos acessam na internet?

RC – Todo cuidado é necessário. Nós precisamos saber quais são os canais de YouTube que nossos filhos estão assistindo. Isso é muito importante. Precisamos saber os jogos que eles estão acessando. Até as conversas no Whatsapp, as postagens no Instagram e principalmente no Snapchat, que são apagados após determinado tempo. É obvio que não vamos conseguir controlar todos esses meios de comunicação, por isso, abrir um canal de diálogo com eles se tornou a arma mais poderosa que temos em nossas mãos.  Embora a criança ou adolescente relute, ter esse controle é fundamental. Mas precisamos encontrar caminhos para entrar nessa realidade, nesse universo dos jovens de hoje. Muitas vezes eu escuto no meu consultório as mães dizendo ‘mas eu não me interesso pela internet’. E eu sempre digo: ‘mas precisa se interessar’. Se você não se interessa porque não gosta, terá que se interessar porque sua jóia mais preciosa está usando esse meio de comunicação, e ela pode ser roubada de você a qualquer momento.

 

INTERVIEW

Psychologist offers tips on how to protect children and adolescents against the risks of social networking sites

 

The internet gives us access to infinite possibilities of research and information, and even helps us educate our children. The advent of the internet has revolutionized how we receive information and communicate. Social networking sites play an important role within this context. Rarely do we see a person nowadays who does not have an account on Facebook, Instagram, Twitter, YouTube, WhatsApp, among others. More than 1 billion people worldwide are estimated to make use of such platforms.

 

But while the internet has its positive side, it can be an open door to different types of danger, especially for children and adolescents. In this sense, the family plays a key role in imposing limits and shielding children from the innumerable risks posed by the virtual environment.

 

To help in this reflection, Escola Bilíngue Pueri Domus held last week the workshop “Educating in Times of Danger in Social Networks” for parents of students of the Verbo Divino campus. The psychologist and coach Roberta Conte talked about the precautions families can take to protect and educate their children regarding the use of social media. She also gave an interview to Blog do Pueri, published below:

 

BLOG DO PUERI  – Is there a right age to start using social networking sites?

ROBERTA CONTE – Regarding social networking sites, according to some experts, the ideal age to start using them is pre-adolescence. Of course, it relates to how parents interact with children or adolescents and the level of trust existing between them. I have been working for over 20 years with families in my private practice, and more important than saying yes or no to the use of social media is being aware of the relationships we establish at home. We cannot fit our children into a “little box” and say: that’s it, that’s the right one. Each family acts and functions differently. It is based on this relationship that we should say yes or no to the use of social networking sites by our children. There are three important issues to think about:

– As a parent, am I available to supervise my child’s use of social networking sites?

– Does my child have an open enough relationship with me to tell me about what I don’t see?

– Is it really important that my child already use social networking sites? What are the benefits and drawbacks of social media? Discuss this together and listen to what he or she has to say.

 

BP – What precautions should parents take? What issues should they be alert to?

RC – You can never be too careful. Just as the internet is very good and helps us in a lot of ways so that children can learn more and grow, it also has a devastating side, even in the emotional sense. Today we hear a lot about grooming, which is the issue of pedophilia in social media. So we cannot be too careful. We have to lay down certain rules or strike a few “deals” with them, and one of the most important for me as a mother and a professional is this: our children cannot access the internet behind closed doors, because inside their bedroom they may virtually “be” in a party, a violent game, an inappropriate movie, or even accessing pornographic websites or any other dangerous environment. Nowadays, dialogue must be the basis of our relationship with them. No subject should be too embarrassing to talk about. Of course, each age group has its doubts and questions, but as parents we must be prepared to talk and help them with the most important issues on the minds of our children and youngsters. In the past, when we went out, our parents would say “don’t talk to strangers”. And today our children may be talking to strangers inside their very bedroom, talking to people we can’t even imagine. Therefore, attention, contact with their reality, dialogue, open doors, these are habits that parents must necessarily nurture nowadays.

 

BP – Do you think parents should know the passwords to their children’s social networking sites?

RC – I think they should. What happens today is that we parents are at a loss. We don’t want to be annoying and hence end up forgetting what really matters, which is looking out for our most precious jewels. We no longer know how to set limits, negotiate rules, give orders and even be strict when necessary. We are afraid of setting limits for our children. We are afraid to say “we are looking out for you”. It is essential that we start developing a “counterculture” to do exactly the opposite. We really have to care for them. Because caring is loving. Saying “no” is a form of love. It is preparing our children to deal with future frustrations in all aspects of their lives. What was it like when we were young? Didn’t we also find our parents annoying when they told us not to do this or that or to put on a jacket? We found it all very annoying. Therefore, may our children find us annoying too, because that translates into care, love and limits. And that is what boosts children’s self-esteem and confidence in their parents: knowing that those “annoying parents” are looking out for them.

 

Pueri Domus – So we must also supervise the content our children access on the internet?

Roberta – All precautions are necessary. We have to know which YouTube channels our kids are watching. That is very important. We have to know which games they are accessing. Even their WhatsApp chats, Instagram posts and especially their Snapchat content, which is deleted after a certain time. Of course we won’t be able to control all those forms of social media, so opening a channel of dialogue with them has become our most powerful weapon. Although children or adolescents will resist, having that level of control is essential. But we need to find ways to enter that reality, the world of young people today. In my private practice I often hear mothers saying “but I don’t care about the internet”. You have to care. If you don’t care because you don’t like it, you have to care because your most precious jewel is using that means of communication and he or she may be taken from you at any moment.

7º ano do Itaim prepara documentário sobre alimentação, saúde, bem-estar e vida saudável

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

As aulas de ‘Saúde’ inspiraram os alunos do 7º ano da unidade Itaim a produzirem um documentário sobre alimentação, nutrição e vida saudável. A iniciativa partiu dos próprios estudantes, que contam com a orientação da professora Katia Aparecida de Castro.

 

A ideia surgiu depois que o grupo assistiu o documentário “Muito além do peso” (disponível no YouTube) da cineasta Estela Renner, que analisa a qualidade da alimentação infantil e os efeitos da publicidade de alimentos.

 

IMG_1330

 

Inicialmente os alunos estudaram o gênero ‘documentário’. “Ao longo das aulas nós víamos as cenas, documentávamos e registrávamos desde as falas dos personagens, o posicionamento das câmeras e os conceitos envolvidos no vídeo”, relata a professora. Em seguida a turma decidiu quais seriam os temas a serem abordados: anorexia, bulimia, obesidade, saúde bucal e doenças relacionadas ao trato respiratório.

 

IMG_1346

 

Para produzir o trabalho, os alunos estão utilizando conceitos que foram estudados durante as aulas de ‘Saúde’ e que ainda serão estudados ao longo do ano. O processo inclui reuniões de pauta, planejamento, cronograma, produção de roteiro, entrevistas, filmagens e edição. A sala foi dividida em grupos de acordo com a aptidão dos alunos: trabalharão juntos na produção do roteiro os alunos que têm mais afinidade com esta atividade; trabalharão com a edição os alunos que preferem atuar nesta etapa e assim por diante.

 

“Nossa ideia é que, antes do encerramento do semestre, já tenhamos concluído um pré-projeto. Em agosto, após as férias, estudaremos os pré-projetos, produziremos o roteiro e iniciaremos a filmagem das cenas. O plano é apresentar o documentário em novembro durante a Estação Cultura”, conta Katia.

 

IMG_1341

Psicólogo Tiago Tamborini fala sobre valores, tecnologia e ‘Baleia Azul’

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Tiago Tamborini

 

Nesta quinta-feira, 20 de abril, o Pueri Domus recebeu o psicólogo Tiago Tamborini (pai da aluna Giovana, do Infantil I da unidade Verbo Divino) para um bate-papo com familiares de alunos sobre a criança e o jovem do século XXI e os desafios das famílias frente aos valores, hábitos, perigos e oportunidades que cercam a nova geração.

 

O especialista falou sobre tecnologia, limites e frustrações, relacionamento entre pais e filhos, e ainda comentou sobre o jogo ‘Baleia Azul’, que vêm tirando o sono de muitas famílias. Confira os detalhes aqui no Blog do Pueri:

 

PUERI DOMUS – O jovem de hoje tem alguns valores que podem ser perigosos, como o consumo, a competição e a busca por autonomia. Como os pais devem se colocar diante disso?

TIAGO TAMBORINI – A regra é se contrapor. Se o mundo está consumista, por exemplo, como é que eu me contraponho a isso? Como é que eu trago o outro lado da história para o meu filho? Uma vez identificado um valor que você não acha legal, procure criar contrapontos a ele. Por exemplo, se é natural hoje ser consumista por haver uma enorme demanda sobre isso, eu posso fazer o seguinte contraponto: como é que na minha casa eu me relaciono com o consumo? Que tipo de viagem eu faço? Que tipo de relação eu tenho com o gasto? É este contraponto que vai me ajudar a trazer para o jovem outra visão.

 

PD – A internet, os smartphones e seus aplicativos, os tablets, tudo isso faz parte da realidade das crianças e adolescentes. Em que situações os pais devem limitar o uso da tecnologia sem privar seus filhos dela?

T – É preciso ter bom senso. A primeira coisa é observar seu filho e entender que tem crianças que jogam durante 1 hora por dia e tudo bem, e tem crianças que jogam 3 horas por dia e tudo bem. Depende do modo como ela se relaciona com a tecnologia, que tipo de uso ela faz e como isso está na vida dela. O jovem que está vinculado com estudo, estuda direito, entrega os trabalhos, é organizado, se ele quer jogar um pouco mais, ele pode. Ele está querendo te dizer ‘olha, eu sei me relacionar com isso’. Agora, o jovem que está com dificuldade de comprometimento com a vida, que não faz esporte, que não estuda, etc, com este talvez seja necessário ter um controle maior sobre a tecnologia, que é uma influência e uma sedução muito grandes. Num primeiro momento você tem que olhar para o seu filho e ver ‘quem é ele’ e depois analisar o quanto a tecnologia está realmente causando um problema, porque para muitos não é. Depende muito de como é o seu filho e, dependendo do caso, a melhor solução é restringir.

 

PD – Como estimular a busca por conhecimento em meio a tanta informação acessível na internet?

T – Através da curiosidade. Primeiro em você, como pai e mãe, mostrar curiosidade pela vida. Por exemplo, que tipo de viagem você faz, que lugares visita, que livros lê, etc. Para o jovem, adolescente ou criança, falar um pouco mais na língua deles diante da curiosidade que ele possa ter. Às vezes você quer que seu filho leia, mas traz para ele um livro muito complexo ou algo muito simplório. Minha dica é: vai diante dos desejos dele. Talvez ele esteja mais interessado em ler a bibliografia do Steve Jobs, ou a bibliografia do Zuckerberg, criador do Facebook. Você não quer que ele leia? Então você pode estimular a curiosidade dele diante dos desejos do dia-a-dia dele. A grande regra para estimular conhecimento é estimular curiosidade, e eu só fico curioso por alguma coisa que, de alguma forma, me estimula. Mas isso tem que começar em nós, pais.

 

PD – As crianças e jovens atualmente têm um limite menor para a frustração. Como os pais podem lidar com isso?

T – O melhor jeito de fazer isso é frustrar. Só aprendemos a lidar com a frustração quando a gente entende que ela é inevitável. Ninguém tem que gostar de se frustrar, ninguém gosta, mas é necessário entender que ela existe e que faz parte da construção da maturidade. Então, como você ensina seu filho a lidar com isso? Frustrando, deixando-o bravo, triste, dizendo ‘não’, restringindo ou retardando, dizendo ‘agora não’ ou ‘mais tarde’. Na hora que seu filho entender que vai ter que enfrentar a frustração, ele aprende a lidar com ela. Se o seu filho não tiver esses limites, não aprender a lidar com a frustração, no futuro ele terá pouca inteligência emocional, pode ficar irritadiço, deprimido, agressivo, imediatista. A falta de capacidade para lidar com a frustração gera uma série de problemas.

 

PD – Nas últimas semanas ‘viralizou’ na internet e nos noticiários o jogo da Baleia Azul. Isso é preocupante mesmo? Em quais casos os pais devem ficar atentos?

T – Devem se preocupar os pais de crianças e adolescentes que tenham algum indício de depressão ou algum diagnóstico psiquiátrico. Se você está notando seu filho com alguma característica preocupante de sociabilização, de reclusão, de tristeza ou qualquer coisa que indique uma possibilidade de depressão, ou diagnóstico psiquiátrico como esquizofrenia, aí, sim, há um potencial risco. Para os pais que têm um filho que está vivendo uma vida ‘ok’, que não têm nenhum tipo de consequência psíquica atualmente, essa história de ‘Baleia Azul’ será só mais uma curiosidade, uma brincadeira que não vai levar às vias de fato. Então, diante desse assunto, primeiramente o conselho é se acalmar e, depois, orientar. Não é porque não vai levar às vias de fato que você não tem que ajudar seu filho a entender que isso é uma tolice, uma loucura. Mesmo que você ache que seu filho não vá cometer suicídio, é o momento de orientar quanto aos valores sobre isso.

 

PD – E como você identifica que seu filho está enfrentando algum problema, que pode se tornar potencial ‘vítima’ desse jogo?

T – Se tem dúvida, busque ajuda. Marque uma reunião na escola ou com o psicólogo. Na dúvida não pense duas vezes. Se os pais têm dúvida, é porque aí já tem alguma coisa errada. Pecar pelo excesso não te faz perder nada, mas pecar pela falta é ruim. Na dúvida, procure ajuda.

Navegue por assunto

Twitter

Loading...

Recomendamos

Arquivos

Página 4 de 7« Primeira...23456...Última »