Visite o site do Pueri Domus

Blog do Pueri Domus

Conheça os 3 maiores benefícios de um cérebro bilíngue

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Falar 2 línguas tem efeitos óbvios em um mundo globalizado, não é mesmo? Mas se engana quem pensa que os benefícios se limitam ao mundo dos negócios! Nos últimos anos, cientistas mostraram que as vantagens de ser bilíngue se estendem dos âmbitos mais complexo aos mais básicos, como a saúde e a capacidade de comunicação. É isso mesmo: aprender outra língua pode fazer com que seu filho fique mais inteligente!

Segundo dados divulgados pela BBC, entre 60% e 75% das pessoas em todo o mundo falam ao menos 2 idiomas. Quer sugestão mais clara de que o cérebro humano está pronto para trabalhar com diferentes linguagens?

Contrariando muitos educadores do século XX, que costumavam afirmar que 2 idiomas confundiam as crianças, os cientistas modernos têm sido cada vez mais enfáticos ao mostrar que a educação bilíngue é sim vantajosa.

Confira agora mesmo as descobertas que reunimos sobre o cérebro bilíngue!

O QUE SIGNIFICA SER BILÍNGUE?

Um bilíngue bem equilibrado tem habilidades parecidas em 2 línguas, conhecendo e usando os idiomas em proporções variáveis. Há basicamente 3 tipos de bilíngues:

O composto, que desenvolve 2 códigos linguísticos simultaneamente, com um único conjunto de conceitos — como no caso de crianças cujos pais têm 2 nacionalidades;

O coordenado, que trabalha em 2 conjuntos de conceitos, aprendendo um idioma na escola e usando outro em seu convívio social;

O subordinado, que aprende uma língua secundária por meio de filtros da língua primária.

Todos os tipos de pessoas bilíngues podem se tornar proficientes no idioma, independentemente de sotaque ou pronúncias. Para um observador casual, as diferenças são mínimas. A diferença está na vontade de aprender!

QUAIS SÃO OS MAIORES BENEFÍCIOS PARA O CÉREBRO?

Diversos especialistas em todo o mundo têm se dedicado a estudar os benefícios do aprendizado de diferentes idiomas. Esse esforço se torna ainda mais urgente se levarmos em conta os fenômenos da globalização e da morte de idiomas — a estimativa é que mais da metade das línguas que conhecemos hoje estarão mortas até o final do século. Nesse cenário, indivíduos multilíngues terão papel fundamental na resolução de conflitos entre povos, na consolidação de negócios e na preservação de culturas.

Ainda precisa de mais argumentos para adotar uma educação bilíngue para seu filho? Então continue acompanhando!

Solução de problemas

O neuropsicologista Jubin Abutalebi, da Universidade de San Raffaele, de Milão, afirma que o cérebro dos bilíngues desenvolve mais massa cinzenta em uma região associada à aquisição de vocabulário. Em entrevista à BBC, Abutalebi diz que é possível distinguir bilíngues de outras pessoas apenas observando imagens escaneadas de seus cérebros, que apresentam uma quantidade significativamente maior de massa cinzenta no córtex cingulado anterior (ACC). Assim como um músculo, quanto mais você usa o ACC, maior e mais flexível ele fica.

Como um cérebro bilíngue é constantemente desafiado, precisa fazer um esforço maior para reconhecer e negociar significados, de forma a decidir qual idioma é mais adequado para cada instante. A atenção necessária para alternar entre línguas gera mais atividade, estimulando as funções do córtex pré-frontal dorsolateral — parte do cérebro que desempenha funções executivas, resolvendo problemas, fortalecendo a concentração, alternando entre tarefas e filtrando informações irrelevantes.

Enriquecimento de perspectivas

Se alguém perguntar a você, em português, qual é seu prato favorito, você provavelmente escolherá um de nossos quitutes típicos, certo? Já se a mesma pergunta for feita em italiano, você provavelmente pensará em suas preferências gastronômicas da Itália! Alguns neurologistas estudam esse fenômeno, investigando se diferentes linguagens despertam diferentes ações.

Também em depoimento para a BBC, o professor Panos Athanasopoulos, da Universidade de Lancaster, na Inglaterra, afirma que falantes da língua inglesa são focados na ação ao observar fenômenos. Os que falam a língua alemã, por outro lado, demonstram uma visão mais holística das situações, dando mais atenção ao objetivo da ação. Na verdade, portanto, é comum que bilíngues se sintam pessoas completamente diferentes ao falarem outro idioma, o que pode ser explicado pela lógica que cada idioma exige.

Envelhecimento com saúde

Uma capacidade melhor de concentração e de resolução de problemas, com mais flexibilidade mental para habilidades múltiplas: tudo isso é muito interessante para o dia a dia. Contudo, o benefício de um cérebro bilíngue que mais tem empolgado cientistas é sua influência no envelhecimento. Aprender outro idioma parece nos proteger de efeitos precoces da demência, sabia?

A psicolinguista Ellen Bialystok, da universidade de York, no Canadá, descobriu que indivíduos bilíngues com tendência ao Alzheimer demoraram 4 a 5 anos a mais para apresentar os sintomas em relação aos que falavam apenas um idioma. Segundo Bialystok, ser bilíngue não previne o desenvolvimento de demência, mas retarda os efeitos da doença. A cientista explica: se a demência afeta certas partes do cérebro, os bilíngues acabam compensando os danos por mais tempo porque têm uma massa cinzenta extra, bem como padrões neurais alternativos.

O bilinguismo também melhora a proteção do cérebro no caso de danos. Um estudo recente feito com 600 sobreviventes de infartos, na Índia, mostrou que a recuperação cognitiva foi mais rápida nos indivíduos bilíngues.

É MESMO IMPORTANTE COMEÇAR CEDO?

Aprender um idioma ativa as mais diversas funções no cérebro. Veja bem: o hemisfério esquerdo do cérebro é associado a processos lógicos, enquanto o direito é mais ativo em processos sociais e emocionais. Até aí tudo bem, certo? Mas levando em conta que a lateralização é desenvolvida gradualmente, com a idade, os neurologistas criaram a teoria do período crítico.

Segundo essa teoria, as crianças têm facilidade em aprender línguas porque a plasticidade de seus cérebros permite que os 2 hemisférios sejam usados na aquisição da linguagem. Já nos adultos, esse processo ativa somente um hemisfério — geralmente o esquerdo. Por isso, é tão importante aproveitar a infância e a adolescência para proporcionar o máximo de interações com outro idioma!

Escolas bilíngues estão crescendo em todo o mundo, proporcionando às crianças educadas nesse modelo um desempenho cada vez melhor. Com capacidade de concentração mais aflorada, foco total e mais autoestima, essas crianças têm mais empatia por outras culturas, o que beneficia nossa sociedade. Então o que ainda está esperando para proporcionar tudo isso a seu filho?

Learn about the three greatest benefits of a bilingual brain

Speaking two languages has obvious advantages in a globalized world, right? But anyone who thinks that the benefits are limited to the business world is wrong! In recent years, scientists have shown that the benefits of being bilingual range from the most complex to the most basic areas, such as health and communication skills. That’s right: learning another language can make your kid smarter!

According to data released by the BBC, between 60% and 75% of people worldwide speak at least two languages. What clearer indication could there be that the human brain is ready to work with different languages?

Unlike many educators in the 20th century who believed that two languages would confuse children, modern scientists have been increasingly emphatic in showing that bilingual education is indeed advantageous. Check out now the findings we have compiled about the bilingual brain!

WHAT DOES IT MEAN TO BE BILINGUAL?

A well-balanced bilingual has similar skills in two languages, with varied rates of knowledge and use. There are basically three types of bilingual person:

The compound bilingual, who develops two language codes simultaneously with a single set of concepts − as in the case of children whose parents have two nationalities;

The coordinate bilingual, who works with two sets of concepts, learning one language at school and using another in social life;

The subordinate bilingual, who learns a second language through first language filters.

All types of bilingual people can become proficient in the language, regardless of accent or pronunciation. For a casual observer, the differences are negligible. The difference is in the willingness to learn!

WHAT ARE THE GREATEST BENEFITS FOR THE BRAIN?

Several experts worldwide have been dedicated to studying the benefits of learning different languages. This acquires even greater significance when we factor in the phenomena of globalization and language extinction − it is estimated that more than half of the languages we know today will be extinct by the end of the century. In such a setting, multilingual individuals will play a key role in solving conflicts between different peoples, consolidating businesses and preserving cultures.

Do you still need more arguments to adopt a bilingual education for your child? Then read on!

Problem solving

The neuropsychologist Jubin Abutalebi from the University of San Raffaele, in Milan, claims that the bilingual brain develops more gray matter in a region associated with vocabulary acquisition. In an interview with the BBC, Abutalebi says that it is possible to distinguish bilinguals from other people just by looking at scan images of their brains, which have a significantly greater amount of gray matter in the anterior cingulate cortex (ACC). Like a muscle, the more you use the ACC, the larger and more flexible it becomes.

As a bilingual brain is constantly challenged, it needs to make a greater effort to recognize and negotiate meanings to decide which language is most suitable for each occasion. The attention needed to switch between languages g enerates more activity, stimulating the functions of the dorsolateral prefrontal cortex − the part of the brain that performs executive functions, solving problems, enhancing concentration, switching between tasks and filtering out irrelevant information.

Enriched perspectives

If someone asks you in Portuguese what your favorite food is, you will probably choose a Brazilian delicacy, right? In turn, if the same question is asked in Italian, you will probably think of your gastronomic preferences from Italy! Neurologists are studying this phenomenon, investigating whether different languages trigger different actions.

Also in a statement to the BBC, Professor Panos Athanasopoulos from the University of Lancaster, in England, says that English speakers focus on action when observing phenomena. Those who speak German, on the other hand, reveal a more holistic view of the situation, paying more attention to the goal of the action. In fact, it is common for bilinguals to feel they are a completely different person when speaking another language, which can be explained by the fact that each language requires a different logic.

Aging with health

Better capacity to concentrate and solve problems, with greater mental flexibility for multiple skills: that is all very interesting for everyday life. However, the benefit of a bilingual brain that has most appealed to scientists is its influence on aging. Learning another language seems to protect us from the early effects of dementia.

The psycholinguist Ellen Bialystok from York University, Canada, found that bilingual individuals with a tendency to develop Alzheimer’s disease took 4 to 5 years longer to present symptoms compared to those who spoke only one language. According to Bialystok, being bilingual does not prevent the development of dementia, but delays the effects of the disease. She explains: if dementia affects certain parts of the brain, bilinguals end up compensating longer for the damage because they have extra gray matter, as well as alternative neural patterns.

Bilingualism also improves brain protection in case of damage. A recent study with 600 stroke survivors in India showed that cognitive recovery was faster in bilingual individuals.

IS STARTING EARLY REALLY IMPORTANT?

Learning a language activates various different functions in the brain. The left hemisphere of the brain is associated with logical processes, while the right is more active in social and emotional processes. So far so good, right? But considering that lateralization develops gradually, with age, neurologists created the critical period theory.

According to this theory, children learn languages m ore easily because the plasticity of their brains allows both hemispheres to be used in language acquisition. In adults, in turn, this process activates only one hemisphere − usually the left one. That is why it is so important to take advantage of childhood and adolescence to provide maximum interaction with another language!

Bilingual schools are growing all over the world, providing children educated in this model with improved performance. With enhanced ability to concentrate, full focus and higher self-esteem, these children have more empathy for other cultures, which benefits our society. So, what are waiting for to provide your child with all these benefits?

Como a tecnologia pode ser aliada dos estudos?

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Por mais que ainda seja vista com certo receio por alguns pais, professores e gestores educativos, o uso da tecnologia no ambiente escolar já é uma realidade que surge como grande aliada na formação acadêmica, pessoal e profissional do aluno. As instituições, nesse sentido, devem se empenhar e se abrir para conhecer os benefícios que o uso da tecnologia pode oferecer, procurando entender como ela contribui para o desenvolvimento dos próprios estudantes, de toda a turma e da própria escola.

Foi pensando nesses detalhes que resolvemos descrever aqui de que maneira a tecnologia se torna parceira no processo educativo, como é possível utilizá-la para obter resultados positivos e quais são as principais vantagens trazidas por sua implementação no dia a dia escolar. Fique atento e se mantenha atualizado!

TECNOLOGIA NOS ESTUDOS: PRÁTICAS INOVADORAS

Embora as diversas tecnologias tenham tido rápido avanço como ferramentas de comunicação, tornando-se as principais formas de interação dos povos em menos de duas décadas, seu uso em sala de aula vem sendo lentamente implementado. Isso pode ocorrer devido a uma tentativa de manter determinada tradição no processo educacional ou talvez pela insegurança de docentes e gestores em alterar radicalmente o ambiente educacional.

Independentemente dos motivos que justifiquem essa lenta inserção, é inegável que as tecnologias estão intensamente presentes em nossa rotina. Em nosso dia a dia, utilizamos diversas ferramentas digitais para ter acesso a informações e notícias mundiais, realizamos pagamentos, acessamos nossos e-mails e nos comunicamos com outras pessoas de forma tecnológica. Da mesma maneira, os alunos começam logo cedo a interagir com seus pais, amigos e familiares utilizando as tecnologias, bem como as manuseiam para fins de lazer e entretenimento.

Algumas práticas têm trazido bastante êxito no que se refere à educação, promovendo um aprendizado mais sólido e de maneira mais lúdica e participativa. Um dos exemplos mais elucidativos ocorreu nos Estados Unidos, onde estudantes desenvolveram seu próprio anuário escolar e um museu local da instituição utilizando a tecnologia, com o objetivo de compartilhar informações com novos alunos, permitindo que conhecessem virtualmente o ambiente escolar.

Outro projeto extremamente interessante implementado no Equador permitiu aos alunos aprimorarem seus conhecimentos financeiros. Ao utilizarem computadores para simular a abertura de um restaurante, os estudantes aprenderam sobre controle de gastos utilizando ferramentas simples, como o Excel. Além disso, ainda desenvolveram um site e criaram panfletos, dentre outras atividades.

INSERÇÃO TECNOLÓGICA: PRINCIPAIS PONTOS POSITIVOS

A utilização de tecnologias nos estudos permite aos alunos o aprendizado de forma mais interativa, de maneira que o conhecimento passado será mais facilmente consolidado e permitirá maior desenvolvimento acadêmico, pessoal e profissional.

Para os pais, é uma ótima maneira de complementar a educação fornecida dentro de casa e ensiná-los a trabalhar em conjunto com a escola. Para os professores, uma forma interessante de tornar mais prático o dia a dia muitas vezes exaustivo e complexo. Para os três (pais, escola e alunos), há uma maior satisfação com suas funções no que se refere à educação.

Por essas e outras, o uso da tecnologia representa uma ferramenta muito importante para a promoção de aprendizado, pois possibilita a troca de experiências entre os alunos, promove maior autossuficiência no aprendizado, aumenta a flexibilidade para a busca de informações, promove o aprendizado de maneira variada (uma vez que o professor pode ensinar com diversas ferramentas e favorecer os diferentes estilos de aprendizado), além de inúmeras outras vantagens.

Na prática, as tecnologias possibilitam:

Organização e o compartilhamento de notas: ferramentas e softwares permitem ao professor uma melhor organização e divulgação de notas de maneira mais rápida e eficiente. Bom para todos os envolvidos!

Auxílio na pronúncia de palavras: nas disciplinas de línguas ou em educação bilíngue, por exemplo, ferramentas tecnológicas permitem ao aluno ter maior autossuficiência ao buscar pela pronúncia correta de palavras.

Ajuda com a definição de termos: todas as disciplinas demandam certa capacidade interpretativa por parte do aluno, não é mesmo? Por isso, é importante que ele não dependa do professor para desenvolver todas as habilidades gramaticais, podendo fazê-lo com ajuda da tecnologia.

Geração de discussões produtivas: portais e fóruns possibilitam uma maior interação entre aluno e professor ainda mesmo fora do horário de aula. Por meio deles, podem ser levantados questionamentos e geradas discussões a partir de dúvidas e opiniões compartilhadas.

Conferência de informações: para viabilizar ainda mais a comunicação, as ferramentas digitais podem estar disponíveis para repassar notícias e informações entre as turmas e toda a instituição.

Integração do conteúdo aprendido: diversas atividades dinâmicas e interativas podem ser realizadas em softwares e ferramentas digitais no sentido de permitir uma maior integração dos conteúdos aprendidos no dia a dia.

ATENÇÃO DOS ALUNOS: USO DA TECNOLOGIA A FAVOR

Um dos grandes benefícios do uso da tecnologia em sala de aula é aumentar o foco dos estudantes e realmente prender sua atenção. Isso porque, diferentemente das aulas em que o professor representa uma fonte usual de transmissão de informações, as aulas em que são utilizadas tecnologias se tornam uma novidade para o aluno. Assim, ferramentas como videoaulas, apresentações e animações computadorizadas elevam o interesse do aluno, que acaba ficando mais atraído e desenvolvendo maior foco e atenção.

Mas ainda é preciso aprender a lidar com a tecnologia em sala de aula. Afinal, sendo mal utilizada, ela pode, em vez de manter a atenção do aluno, despertá-lo para assuntos impertinentes ao momento, completamente diferentes do que se deseja ensinar. E para utilizar adequadamente as tecnologias em sala de aula, o professor deve:

• Conversar com os alunos de forma a estabelecer limites de utilização; • Incentivar os alunos a lidar com a tecnologia de forma consciente e responsável;

• Planejar discussões e atividades avaliativas a partir de trabalhos com os recursos tecnológicos;

• Instruir e fazer combinados em relação a momentos e ferramentas que deverão ser utilizados, definindo penalidades construtivas em caso de descumprimentos das normas estabelecidas.

De modo geral, o uso responsável das tecnologias nos estudos pode promover melhor interação entre os alunos e um aprendizado mais sólido e rico. Por isso, ao utilizar essas ferramentas na escola, não só os estudantes serão beneficiados de diversas maneiras como o professor facilitará seu próprio trabalho ao contribuir para o crescimento e o desenvolvimento institucional, tornando a escola um ambiente cada vez mais atualizado! Agora que você conheceu algumas dicas sobre o uso da tecnologia na educação, que tal compartilhar conosco suas experiências a respeito do assunto? Deixe aqui seu comentário e participe da conversa!

How can technology aid education?

Despite still being viewed with reservations by some parents, teachers and school managers, the use of technology in the school environment is now a reality that can greatly aid students’ academic, personal and professional development. Therefore, institutions should strive with an open mind to understand the benefits that the use of technology can offer and how it contributes to the progress of students, classes and the actual school.

With that in mind we decided to describe here how technology can be a partner in the educational process and be used to achieve positive results, plus the main advantages of its introduction in the school routine. Stay tuned and updated!

TECHNOLOGY IN EDUCATION: INNOVATIVE PRACTICES

Although various different kinds of technology have rapidly evolved as communication tools, becoming the main means of interaction among people in less than two decades, their introduction in the classroom has been slow. This may be due to a desire to preserve tradition in the educational process or to the insecurity of teachers and managers in radically altering the school environment.

Regardless of the reasons behind this slow insertion, it is undeniable that technology is a ubiquitous presence in our life. We daily use several digital tools to access information and world news, make payments, use e-mail and communicate with other people in a technological way. Likewise, students start early to interact with their parents, friends and family using technology, as well as handling it for leisure and entertainment purposes.

Some experiences have been very successful in education, providing solid learning in a more playful and participatory way. One of the most striking examples occurred in the United States, where students developed their own school yearbook and a school museum using technology, aiming to share information with new students and allow them to get to know the school environment virtually.

Another extremely interesting project implemented in Ecuador allowed students to improve their financial knowledge. Using computers to simulate the opening of a restaurant, students learned about controlling expenses using simple tools such as Excel. In addition, they also set up a website and created brochures, among other activities.

TECHNOLOGICAL INSERTION: MAIN POSITIVE POINTS

The use of technology in education allows students to learn in a more interactive way so that acquired knowledge is more easily consolidated and provides greater academic, personal and professional development.

For parents it is a great way to complement the education provided at home and learn how to work alongside the school. For teachers it is an interesting way to make everyday life, often exhausting and complex, more practical. All three (parents, school and students) achieve greater satisfaction in the roles they play in education.

For these and other reasons, the use of technology is very important to promote learning, as it enables students to exchange experiences, provides greater self-sufficiency in learning, increases flexibility in searching for information and fosters diversity in learning (since the teacher can use different tools and cater for different learning styles), besides numerous other advantages.

In practice, technology provides:

• Organization and sharing of grades: tools and software programs allow teachers to achieve improved organization and disclose grades more quickly and efficiently. Good for everyone involved!

Help with pronunciation: in language subjects or in bilingual education, for example, technology tools allow students to acquire greater self-sufficiency when searching for the correct pronunciation of words.

Help with definitions: all subjects require students to have comprehension and interpretation skills, right? Therefore, it is important that they don’t depend only on the teacher to develop them, but can also rely on technology.

Productive debates: portals and forums enable greater interaction between students and teachers even outside school hours. Through them, questions are raised and discussions are triggered based on shared opinions and queries.

Information checking: to further enhance communication, digital tools can help relay news and information across classes and the entire institution.

Integration of learned content: several dynamic and interactive activities can be done with software and digital tools to provide greater integration of content learned daily.

STUDENTS’ ATTENTION: INCREASED WITH TECHNOLOGY

One of the great benefits of using technology in the classroom is increasing students’ attention span and helping them focus. The reason is that, unlike lessons in which the teacher is the usual means of transmitting information, lessons using technology are a new experience for students. Therefore, tools such as video lessons, presentations and computer animations raise students’ interest, are more inspiring and focus their attention.

But we still need to learn how to deal with technology in the classroom. After all, when misused, instead of keeping students focused, it may draw their attention to inappropriate subjects at that time, totally disconnected with what is being taught. And to use technology properly in the classroom, the teacher must:

• Establish limits to its use together with students;

• Encourage students to use technology in a responsible way;

• Plan discussions and assessment activities based on work with technological resources;

• Advise and agree on which tools should be used and when, defining constructive punishment for non-compliance with established rules.

In general, the responsible use of technology in education can provide better interaction among students and a more solid and enriching learning experience. Therefore, when using these tools at school, not only will students benefit in different ways, but teachers will make their own work easier by contributing to institutional growth and development, making the school an increasingly updated environment!

Now that you have learned some tips for using technology in education, how about sharing your experiences on the subject with us? Leave your comment here and join the conversation!

Dicas para meditar, relaxar e cuidar do corpo em casa

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Que tal aproveitar o tempo livre em casa para cuidar de você mesmo, meditar e relaxar um pouquinho? Mesmo com todas as tarefas, como o trabalho, os filhos e os afazeres domésticos, é importante reservar uns minutinhos por dia para cuidar do corpo e da mente. Listamos aqui algumas dicas e ideias para te ajudar:

Tips for meditating, relaxing and caring for your body at home

How about using your free time at home to take care of your health, meditate and relax a little? Despite so much to do with work, children and household chores, it is important to set aside a few minutes a day to care for body and mind. We have listed a few tips and ideas to help you out:


Como fazer fermento caseiro para pão

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Você sabia que dá para fazer fermento em casa usando apenas água e farinha? O chamado levain, ou fermento caseiro, leva em torno de oito dias para ficar pronto e rende um pão delicioso, muito simples de fazer.

Para preparar o fermento, coloque em um pote de vidro 2 colheres (sopa) de água e 3 colheres (sopa) de farinha, e mexa durante 5 minutos. Em seguida, cubra o vidro com um pano limpo e reserve durante 24 horas, fora da geladeira e em um lugar que não bata sol.

No dia seguinte, acrescente mais 2 colheres (sopa) de água e 3 colheres (sopa) de farinha e misture bem. Deixe descansar por mais um dia. Repita esse processo por mais 6 dias, acrescentando as mesmas quantidades de água e farinha. No final, começam a aparecer bolhas na massa, o que significa que o fermento está pronto para ser usado.

How to make homemade yeast for bread

Did you know that you can make yeast at home using only water and flour? So-called levain, or homemade yeast, takes about eight days to prepare and produces delicious bread, very simple to make.

To prepare the yeast, put 2 tablespoons of water and 3 tablespoons of flour in a glass jar and stir for 5 minutes. Then cover the jar with a clean cloth and let it rest for 24 hours, outside the refrigerator but in a cool place with no direct sunlight.

On the next day, add 2 more tablespoons of water and 3 tablespoons of flour and mix well. Let it rest for another day. Repeat this process for another 6 days, adding the same amounts of water and flour. Eventually bubbles will appear in the dough, which means that the yeast is ready to be used.

Distanciamento social: o que você pode fazer pelos idosos neste momento

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Se você tem familiares ou amigos idosos, além de manter e incentivar o distanciamento social como medida de prevenção contra o novo coronavírus, você pode tomar algumas atitudes que farão toda a diferença para a saúde mental e física deles, com muito diálogo e carinho – a distância, claro.

Segundo a OPAS/OMS (Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde), pessoas idosas em isolamento social, especialmente aquelas com problemas cognitivos como demência, tendem a ficar ansiosas, estressadas, com medo ou com insônia.

O escritório da organização no Brasil divulgou, em suas redes sociais, uma série de dicas e pequenos cuidados para que você possa ajudar essas pessoas a enfrentarem o isolamento de uma forma mais saudável e tranquila. Listamos algumas:

___

_____________________________________________

Social distancing: how you can help the elderly

If you have elderly relatives or friends, besides practicing and encouraging social distancing as a preventive measure against the new coronavirus, you can do some things that will make all the difference to their mental and physical health, with lots of dialogue and caring – at a distance, naturally.

According to PAHO/WHO (Pan American Health Organization /World Health Organization), older adults in social isolation, especially those with cognitive problems such as dementia, tend to get anxious, stressed, scared or experience insomnia.

The organization’s office in Brazil has published on its social networking sites a series of tips and small precautions to help this age group face isolation more healthily and smoothly. We have listed a few below:

Dia das Mães: ideias de presentes e surpresas fáceis para fazer sem sair de casa

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

O Dia das Mães está chegando. Mas como providenciar um presente se os comércios estão fechados e se temos que permanecer em casa? A alternativa é soltar a criatividade e colocar a mão na massa para fazer você mesmo a surpresa da sua mãe. E tem coisa mais especial do que algo feito por nós mesmos, com amor e carinho?

Elencamos aqui quatro ideias de presentes fáceis de fazer, sem precisar sair de casa. Alguns, inclusive, sem custo algum.

 

__________________________________________

 

Mother’s Day: ideas of easy gifts and surprises to make at home

 

Mother’s day is coming up. But how to get a gift if shops are closed and we have to stay at home? The alternative is to use your creativity with a handmade surprise for your mother. And could anything be more special than a gift we made ourselves, with all love and care?

We have selected four ideas of gifts to make at home. Some of them even at no cost.

 

Que tal montar uma horta orgânica em casa?

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Ao contrário do que muita gente pensa, cultivar uma horta orgânica em casa é muito mais simples do que parece, e demanda muito menos tempo do que a gente imagina. Então, que tal aproveitar esses dias de isolamento social para preparar, junto com a família, sua própria horta?

Além de ser uma atividade relaxante, é uma excelente oportunidade de contato com a natureza, além do prazer proporcionado pela experiência de produzir e consumir seu próprio alimento.

Veja abaixo os motivos para montar sua própria horta e os cuidados necessários em cada etapa:

Benefícios

Dentre os maiores benefícios da horta orgânica em casa estão: a qualidade assegurada do que será produzido; a disponibilidade do alimento sem precisar ir às compras; além de ser uma excelente terapia para toda a família.

O que é necessário?

Em primeiro lugar, é necessário espaço disponível para acomodar os canteiros, caixotes ou vasos que serão utilizados para estabelecer a horta. Atenção: o espaço escolhido deve receber a luz do sol em grande parte do dia, pois as plantas cultivadas em hortas são muito dependentes da luz do sol.

Preparo do solo

No caso de quintal, o solo deve ser remexido para que fique livre de grandes pedaços de terra, os chamados ‘torrões’, e enriquecido com esterco gerado por animais. Para o caso de vasos ou caixotes, o recomendado é adquirir uma terra enriquecida. Tanto o esterco quanto a terra enriquecida podem ser encontrados facilmente em agropecuárias e floriculturas.

Cuidados básicos.

As mudas devem receber irrigação uma vez por dia, com muito cuidado para que não haja acúmulo exagerado de água. No caso de plantio em vasos, estes devem ter furos na parte de baixo para escoamento do excesso de água. Também é recomendável buscar métodos de controle alternativos para manter os cultivos. O básico seria retirar e destruir as plantas doentes e os insetos, quando presentes.

Quais plantas são mais recomendadas?

As plantas mais recomendadas para hortas caseiras orgânicas são: alfaces, cenoura e temperos em geral. O tomate e outras plantas da família, como a berinjela, e as pimentas e pimentões, não são recomendados pela alta incidência de doenças.

As crianças podem participar do plantio e outras etapas?

Lógico! É uma excelente oportunidade para que elas aprendam a importância e como se produz os alimentos. Além de ser um excelente passatempo e terapia para toda a família.

_____________________________________________

How about planting an organic vegetable garden at home?

Contrary to what many people think, planting an organic vegetable garden at home is much simpler than it seems and requires much less time than we think. So, how about using these days of social distancing to grow your own vegetables, together with your family?

Not only is it a relaxing activity, but also an excellent opportunity for contact with nature, not to mention the pleasure provided by the experience of producing and consuming your own food.

See below the reasons for planting a vegetable garden and the necessary care at each stage:

 

Benefits

Among the greatest benefits of having an organic garden at home are: guaranteed quality of produce; availability of food without having to shop; excellent therapy for the whole family.

What is required?

First, you need space for the beds, crates or pots that will be used for the garden. Note: the chosen spot must have plenty of sun, as plants grown in vegetable gardens are very dependent on sunlight.

Soil preparation

In the case of a backyard, the soil must be raked to break up any clods and enriched with animal manure. When using pots or crates, it is recommended to use enriched soil. Both manure and enriched soil can be easily found in garden centers and flower shops.

Basic care

The seedlings must be carefully watered once a day, avoiding excess water. Pots must have holes underneath to drain excess water. It is also recommended to use alternative plant control methods. Basically, sick plants and insects should be removed and destroyed.

Which vegetables are best?

The best vegetables for organic home gardens are lettuce, carrot and spices in general. Tomatoes and other plants of the same family, such as eggplant, and bell peppers and chilies are not recommended due to the high incidence of diseases.

Can children help out?

Of course! It’s an excellent opportunity for them to learn the importance of food and how it is produced, besides being an excellent hobby and therapy for the whole family.

Como evitar acidentes domésticos na quarentena

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Neste período de isolamento social, todos permanecem em casa em tempo integral e, por isso, aumentam os riscos de ocorrerem acidentes domésticos especialmente com crianças, como queimaduras e quedas. Prova disso é que a Sociedade Brasileira de Pediatria registrou, desde o início da quarentena, um crescimento de aproximadamente 25% nos casos.

Desta forma, é preciso que os pais, principalmente de crianças menores, fiquem atentos e passem ‘um pente fino’ na casa para avaliar detalhes e situações que possam colocar os pequenos em perigo. Relembramos aqui algumas dicas que podem ajudar a prevenir acidentes:

_______________________________________________

How to avoid household accidents during quarantine

In this period of social distancing everyone remains at home full time. Therefore, the risk of household accidents such as burns and falls increases, especially with children. Proof of this is that since the beginning of the quarantine period, the Brazilian Society of Pediatrics has recorded an increase of approximately 25% of such cases.

Thus, it is necessary for parents, especially of younger children, to be alert and comb the house for details and situations that may pose danger for small kids. Here are some tips that can help prevent accidents:

Férias em casa: o que fazer?

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Essas férias serão um pouco diferentes das que estamos acostumados, pois a orientação continua sendo: fique em casa. Mas como aproveitá-las, então, se não podemos sair? O blog Pueri para a Família reuniu algumas sugestões de atividades bacanas que podem ser bem proveitosas e divertidas. Confira:

____________________________________________

Vacations at home: what to do?

These vacations will be rather different than usual, as the recommendation stands: stay at home. But how to enjoy them if we cannot go out? The Pueri for the Family blog has listed some suggestions of activities that can be very beneficial and fun. Check them out:

Isolamento social: 5 razões para ficar em casa

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

Permanecer em casa, isolado de familiares e amigos e com atividades externas restritas, tem sido um exercício de paciência para todos nós. Mas é um mal necessário e extremamente importante como medida para combater o coronavírus, preservar nossas vidas e dos nossos entes queridos, além de evitar que o sistema de saúde do país entre em colapso, ocasionando uma tragédia semelhante à ocorrida na Itália.

O número de casos de coronavírus e de mortes causadas pela doença crescem a cada dia desde a divulgação do primeiro caso, em março. Portanto, a recomendação continua sendo: fiquem em casa. Listamos aqui 5 bons motivos para que o isolamento social seja mantido:

____________________________________________________

Social distancing: five reasons to stay at home

Staying at home, distant from family and friends and with restricted outdoor activities has been a trying experience for all of us. However, it is necessary and extremely important as a means to fight coronavirus, preserve our own lives and of those we love, and prevent the collapse of the country’s health system, which would cause a tragedy similar to that in Italy.

The number of coronavirus cases and deaths caused by the disease has grown daily since the first case was notified in March. Therefore, the recommendation stands: stay at home. Here are five good reasons to maintain social distancing:

Navegue por assunto

Twitter

Loading...

Recomendamos

Arquivos

Página 2 de 712345...Última »