Visite o site do Pueri Domus

Blog do Pueri Domus

Sem categoria

Educação Financeira: é possível ensinar já na infância?

Na infância, a criança possui enorme capacidade de absorção de novas informações. É a partir disso que ela vai construindo sua noção de mundo e compreendendo alguns valores. Por isso, explicar de forma lúdica a importância de adotar hábitos conscientes de consumo pode ser uma boa forma de fazer com que seu filho aprenda desde cedo a importância da
educação financeira.

Isso fará com que, na fase adulta, ele seja capaz de fazer uso inteligente do dinheiro, gerindo sua prórpia vida financeira de maneira eficiente. O resultado é se tornar uma pessoa mais segura e responsável com as finanças pessoais, consequentemente conquistará maior saúde emocional e qualidade de vida.

Os pais podem orientar os pequenos a qualquer idade. Basta direcionar a abordagem de acordo com a idade da criança. Considere que as muito pequenas não sabem contar, mas devem entender a simbologia por trás do dinheiro. Enquanto que as maiores devem aprender de maneira mais objetiva sobre como é o ganho do dinheiro, seu consumo e gastos conscientes.

E aí, vamos colocar algumas ações de educação financeira em prática? Acompanhe a seguir algumas dicas que preparamos para você.

Financial Education: Should it start in early childhood?

Small children have a huge capacity to absorb new information, based on which they gradually develop their understanding of the world and its values. Therefore, explaining the importance of adopting responsible consumption habits in a playful way can help your children learn from an early age the importance of financial education.

That will help them use money and manage their financial life efficiently in adulthood, acquiring confidence and responsibility in financial matters and, consequently, having better emotional health and quality of life.

Parents can instruct kids at any time, as long as the approach is appropriate to their age. Very small children cannot count, but they must understand the symbolism behind money, while older ones must learn more objectively how money is earned and responsibily spent.

So, let’s get practical about financial education? Check out below some tips we have prepared for you.

5 dicas de games divertidos, lúdicos e educativos

Você sabia que os games podem ser uma ótima opção para incrementar a
aprendizagem do seu filho? Melhor ainda, a criança aprende de maneira lúdica, prazerosa e interativa. Como as novas gerações já têm maior familiaridade com a tecnologia, vale a pena os pais investirem nela como um recurso extra para o filho aprender.

Afinal, sabemos que as atividades lúdicas facilitam o aprendizado de novas
linguagens, contribui para o desenvolvimento da vocalização, da audição, da percepção visual e do raciocínio lógico. Outro ganho que os jogos trazem é a socialização entre as crianças, mesmo em tempos de isolamento social. Afinal, elas podem jogar online e manterem os laços com os amigos.

E não faltam opções de jogos desenvolvidos para estimular as crianças a
aprenderem se divertindo. A seguir, separamos cinco dicas que valem a pena o download.

Five suggestions of fun, playful and educational video games

Did you know that video games can be a great option to enhance your children’s learning? Better still, they learn in a playful, enjoyable and interactive way. As new generations are already more familiar with technology, it is worth investing in them as an additional learning resource.

After all, we know that playful activities help in learning new languages and contribute to the development of vocalization, hearing, visual perception and logical reasoning. A further advantage of video games is providing socialization among children, even in times of social distancing, as they can play online and not lose contact with friends.

And there is no lack of options of games designed to encourage children to learn while having fun. Below are five tips that are worth downloading.

Você conhece o tie-dye?

Originalmente desenvolvida no Japão entre os séculos VI e VII, a técnica era
chamada de shibori. O nome tie-dye (em inglês, amarrar e tingir) foi incorporado à técnica somente no final dos anos 1960 (século XX) quando começou a aparecer no Ocidente, principalmente entre a comunidade hippie — seu status na época era de um elemento estético que remetia à liberdade. Músicos famosos como Joe Cocker e Janis Joplin foram vistos usando peças tie-dye no lendário Festival de Woodstock.

Hoje em dia, essa antiga técnica de tingimento volta a aparecer como tendência por conta da grande demanda por itens personalizados e exclusivos. Você pode também fazer o seu tie-dye com uma peça de roupa preta (ou até de outra cor escura) utilizando a água sanitária no lugar das tintas coloridas. Nesse caso lembre-se que as crianças precisarão da ajuda de um adulto para diluir a água sanitária e ajudar na hora de borrifar no tecido.

Do you know what tie-dye is?

Originally invented in Japan between the 6th and 7th centuries, the technique was called shibori. The term tie-dye was only coined in the late 1960s (20th century) when it began to appear in the West, mainly among the hippie community as an aesthetic element that denoted freedom. Famous musicians like Joe Cocker and Janis Joplin were seen wearing tie-dye clothing items at the legendary Woodstock Festival.

Nowadays, this old dyeing technique has made a comeback due to the great demand for personalized and exclusive items.

You can also create tie-dye with a black piece of clothing (or any other dark color) using bleach rather than colored dyes. In this case, remember that children must be supervised by an adult when diluting bleach and spraying the fabric.

Conheça cinco personagens curiosos do folclore brasileiro

Por ser parte integrante da cultura de um país, a Unesco considera o folclore Patrimônio Cultural Imaterial e objeto que demanda esforços para preservação. Ao mantê-lo vivo e presente na sociedade, garantimos que as próximas gerações desfrutem o encantamento que ele tem proporcionado de geração em geração.

No Brasil, há até uma data instituída como Dia do Folclore. É em 22 de agosto, uma referência ao dia, em 1946, que foi publicada uma carta do escritor inglês William John Thoms, na revista The Atheneum e que trazia o termo criado por ele: folk (povo) e lore (conhecimento, saber).

Boitatá, Curupira, Saci, Iara, Boto Cor-de-Rosa, Lobisomem são alguns famosos personagens do folclore brasileiro, considerado um dos mais ricos do mundo. Há muitos outros, tanto que o portal Sites e Dicas traz um resumo dos principais mitos, lendas e personagens classificados por estados. Vale a pena acessá-lo para ler com as crianças as histórias.

Na lista a seguir, reunimos cinco curiosos personagens do folclore brasileiro:

Benefícios do uso da realidade aumentada na educação

Provavelmente você já notou que a tecnologia faz parte do processo de aprendizagem do seu filho. E isso não acontece apenas por conta da quarentena provocada pela pandemia da Covid-19 e as aulas on-line. Esta revolução fazia (e continuará fazendo) parte das aulas presencias, afinal, fluência digital está entre as habilidades que compõem o cidadão do século XXI.

O modelo de educação evoluiu, trouxe novas experiências e, agora, os próprios alunos aprendem e constroem soluções usando fundamentos e ferramentas tecnológicas. E eles vão longe neste processo.

Tanto que no último dia 13 de julho, durante o evento mundial da Apple Distinguished Educators (ADEs) foi lançado o livro Laboratório de Design Educacional Criativo: Práticas e Reflexões que, entre outras práticas, conta com uma de Coding criada pelos alunos do Y7 da Escola Bilíngue Pueri Domus e que usa Realidade Aumentada (RA). A atividade recebeu o nome de Interacting with Augmented Reality e os alunos utilizaram a programação aprendida na aula para interagir com objetos em RA.

Como esta é uma tecnologia que integra elementos do mundo real com o virtual, usando câmeras ou sensores, ela permite interação e novas alternativas para executar tarefas. Na educação, o recurso traz muitos benefícios.

Conheça a seguir alguns deles:

Benefits of using augmented reality in education

You have probably noticed that technology is part of your children’s learning process. And this is not just because of the distance learning required during the Covid-19 pandemic. This revolution was already (and will continue being) present in face-to-face classes. After all, digital literacy is one of the skills of 21st-century citizens.

Education has evolved and incorporated new experiences, and now students themselves learn and build solutions using technology principles and tools. And they go a long way in this process.

So much so that the book Creative Educational Design Laboratory: Practices and Reflections, launched on July 13 at the Apple Distinguished Educators (ADEs) world event, features among other activities a coding practice created by Y7 students of Escola Bilíngue Pueri Domus that uses augmented reality (AR). The activity was called Interacting with Augmented Reality and students used the programming knowledge acquired in class to interact with objects in AR.

As this is a technology that combines elements of the real and virtual worlds using cameras or sensors, it allows interaction and new alternatives to perform tasks. This resource offers many benefits in education.

Some of them are:

Que tal jogar futebol? Mas na mesa e com tampinhas de garrafa pet

No dia 19 de julho comemora-se o Dia Nacional do Futebol. A data, criada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 1976, foi escolhida em homenagem ao time gaúcho Sport Club Rio Grande, o primeiro fundado no Brasil, em 1900. A comemoração é justa, afinal, o esporte é uma das maiores paixões dos brasileiros.

Se você está com saudades de jogar futebol, que tal organizar uma partida em casa com seus filhos? Mas calma, não precisa de muito espaço, apenas uma mesa para ser o “campo” e três tampinhas de plástico.

Além da diversão, o jogo é excelente ferramenta para a criança ter noção espacial, controlar a força, melhorar a coordenação motoro, aprender e respeitar regras, saber ganhar e perder e se comunicar. E, acima de tudo, a família inteira ter bons momentos juntos e relaxar.

Um bom jogo para você!

How about playing soccer? But on a table, with pet bottle caps

National Soccer Day is celebrated on July 19 in Brazil. The date, created by the Brazilian Soccer Confederation (CBF) in 1976, was chosen in honor of Sport Club Rio Grande, from the state of Rio Grande do Sul, the first soccer club founded in Brazil, in 1900. The celebration makes sense… after all, Brazilians are simply mad about soccer.

If you miss playing soccer, how about organizing a match at home with your kids? You don’t need a lot of space, just a table for the “field” and three plastic caps.

Besides being fun, it’s an excellent game for children to develop sense of space, strength control and motor coordination, learn and respect rules, know how to win and lose and communicate. And, above all, the whole family will have a good time together and relax.

Enjoy the game!

Dicas para as crianças usarem a internet com segurança

Assim como os adultos, o distanciamento social fez as crianças utilizarem ainda mais o meio digital. Isso porque a Internet tornou-se ferramenta essencial para manter os laços afetivos com amigos e parentes, conectar com professores e amigos da escola, aprender, divertir e compartilhar experiências.

Se, por um lado, o uso da rede estimula a construção da cidadania digital, por outro, para os pais gera preocupação com os riscos que ela pode trazer para as crianças, principalmente, os menores.

Caso você esteja diante deste dilema, acompanhe as dicas que preparamos para garantir que as crianças usem a Internet com segurança.

Internet safety tips for children

As with adults, social distancing has further increased the use of digital media by children. That is because the internet has become an essential tool for maintaining emotional bonds with friends and relatives, connecting with teachers and schoolmates, learning, having fun and sharing experiences.

If, on the one hand, using the web encourages the development of digital citizenship, on the other it raises concerns among parents about the potential risks to children, especially smaller kids.

If you are facing this dilemma, read below the tips we have prepared for ensuring that kids use the internet safely.

Como incentivar o hábito da leitura em crianças e jovens

A leitura é um hábito que deve ser cultivado nas crianças e adolescentes. Mas, diante de tantos outros estímulos, como o tablet, o smartphone e as plataformas de streaming de filmes e músicas, muitas vezes os livros acabam ficando de lado. Nesse caso, os pais têm um papel fundamental para que os filhos aprendam a reservar um tempinho para a leitura e que isso se torne um costume prazeroso na vida adulta.

As crianças aprendem a ler em torno dos 5 e 6 anos de idade, porém, faz toda a diferença se elas forem expostas ao mundo da leitura antes mesmo da fase de alfabetização. Para isso, as famílias podem aproveitar o comportamento infantil natural de observação e de imitação das atitudes dos pais para mostrar que ler pode ser algo gostoso e divertido.

Caso a criança chegue à adolescência sem despertar o gosto pela leitura, os pais podem intervir para tentar reverter a situação. Veja algumas dicas para estimular o gosto pela leitura em seus filhos:

How to encourage children and youngsters to read

Reading is a habit that should be encouraged in children and adolescents. However, given the great number of resources competing for their attention, such as tablets, smartphones and movie and music streaming platforms, books often end up being left aside. In this case, parents play a key role in teaching their children set some time aside for reading and thus develop an enjoyable habit for life.

Although children learn to read around the age of five or six, it makes all the difference if they are exposed to the world of reading even before the literacy phase. To this end, families can exploit their natural behavior of observing and imitating their parents’ attitudes to show that reading can be fun and enjoyable.

If children reach adolescence without having a developed a taste for reading, parents can intervene to try to reverse the situation. Here are some tips to encourage your kids to enjoy reading:

Leitura e interpretação de texto são mesmo o segredo do vestibular?

Por mais que leitura e interpretação de texto sejam atividades diferentes, elas inevitavelmente se complementam. Quando fechamos um livro e abrimos o seguinte, estamos praticando a leitura. Já quando dedicamos alguns minutos a mais para compreender os significados das palavras e suas relações com nossa vida e com o mundo ao redor, estamos interpretando o texto.

Agora, pense bem: com o volume de livros, anotações e exercícios que seu filho lê diariamente na escola, fica bem mais difícil absorver qualquer conhecimento após uma simples leitura com os olhos, não acha?

O que tanto os pais como os filhos precisam entender é que leitura e interpretação de textos são habilidades indispensáveis para um bom aproveitamento escolar e, consequentemente, para os estudos pré-vestibulares. Que tal compreender como praticar ambos e, assim, garantir um melhor aproveitamento nos estudos do seu filho? Então, acompanhe!

OS SEGREDOS DA LEITURA PARA O VESTIBULAR

A essa altura, você já deve saber que simplesmente acompanhar as aulas não é o suficiente para que seu filho tenha o devido aproveitamento nos estudos, certo? Realmente, muitos outros detalhes são fundamentais na melhor compreensão dos jovens, como:

• fazer anotações em sala de aula;

• elaborar resumos do que foi estudado no dia;

• ler e reler, em voz alta, os resumos e as anotações;

• estudar em horários e ambientes tranquilos, propícios à concentração.

Se observar bem, verá que todas as dicas têm algo em comum: o reforço à leitura. Por isso é que, desde os primeiros estágios da infância, incentivar a leitura é fundamental para o desenvolvimento dos jovens. E durante seu crescimento não é diferente!

A compreensão do que é lido facilita tanto os estudos quanto a realização de provas, já que os enunciados ficam mais claros e as conexões mentais para respostas, mais esclarecedoras. Por isso, a leitura e a interpretação de texto são, sim, grandes segredos para o vestibular.

AS MELHORES FORMAS DE TRABALHAR A LEITURA

É fato: leitura é hábito. Por isso, quanto mais praticamos, melhor nos relacionamos com as palavras. Não à toa, é um dos trunfos para seu filho arrasar nas redações dos vestibulares de forma geral. Mas sabia que, no Brasil, a quantidade de jovens considerados capazes de entender e se expressar por meio de letras e números é baixíssima?

Segundo o Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf), apenas 8% das pessoas em idade para trabalhar se enquadram nesse quesito — que engloba desde a elaboração de e-mails à produção de textos argumentativos e descritivos.

Qual a melhor tática? Fazer com que o exercício da leitura esteja enraizado no dia a dia! Só isso já ajuda (e muito) a melhorar esse índice, além de também aumentar as chances de fazer com que os jovens obtenham resultados ainda melhores nos vestibulares.

Para isso, seja você o elo entre seu filho e a leitura, por meio de algumas dicas práticas! Veja:

Incentivo

Comece apresentando livros do interesse dele, sejam romances ou histórias em quadrinhos. Com o tempo, insira mais variedade ao conteúdo, incluindo até clássicos da literatura. E que tal aproveitar para acrescentar aqueles títulos tão famosos nas listas dos vestibulares?

Atualização

O mundo está sempre borbulhando notícias, nacionais e internacionais. E são os jornais (impressos ou digitais) as grandes fontes de informação do cotidiano, não é mesmo? Confira se o seu filho está atualizado sobre o que acontece do lado de fora do seu lar, conversando com ele sobre temas da atualidade e o instigando a buscar as informações que desconhece. Afinal, não há nada melhor do que um jovem conhecedor da realidade global para encarar os vestibulares!

Vocabulário

Ampliar o vocabulário é um ótimo passo no caminho da melhor compreensão de textos. Por isso, um dicionário sempre à mão já é um atalho para que os jovens procurem por palavras e sinônimos enquanto atualizam sua leitura diária. Com o tempo, o repertório do seu filho se enriquecerá, o que é essencial tanto para a leitura quanto para a produção de textos.

O FUNCIONAMENTO DA INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS

Com a leitura firmemente presente no dia a dia, chega a hora de trabalhar a interpretação de textos. E por mais que essa habilidade surja naturalmente a partir do interesse pela leitura, ela também pode ser aprimorada.

O caminho para melhorar leitura e interpretação de textos segue os seguintes passos:

Leitura prévia

Não adianta exigir que o seu filho leia sobre a problemática filosófica dos sofistas, por exemplo, se ele não possui o menor conhecimento sobre a filosofia em si. Por isso, para qualquer que seja o tema estudado, o ideal é que o jovem faça uma leitura prévia sobre o assunto, o que contribuirá para uma enorme diferença na compreensão dos textos.

Compreensão

Quando já se entende ao menos um pouco sobre o objeto do estudo, a compreensão é facilitada. É nessa etapa, contudo, que seu filho não só pode como deve se deparar com informações novas e reconhecer algumas que já conhecia. É a lógica por trás do clássico “entendi, mas não compreendi”.

Interpretação

É aqui que os pais podem ser fundamentais. Após a leitura e o entendimento dos textos, você pode ajudar seu filho a conversar com as informações adquiridas, fazendo simples perguntas.

• Qual é o objetivo deste texto?

• Com quem ele dialoga e por quê?

• Como você pode usar as informações adquiridas?

• A quais conclusões chegou após a leitura?

As respostas para tais perguntas ajudam a estimular o pensamento crítico do leitor, algo imprescindível não apenas para os jovens durante o período pré-vestibular, mas em todas as etapas da vida. Pensando nisso, o quanto antes essas informações estiverem fundamentadas na mente do seu filho, mais rápido ele vai aprender a levar o hábito para as horas de estudo!

APLIQUE LEITURA E INTERPRETAÇÃO À REDAÇÃO

Como já dissemos, a leitura e compreensão de textos é uma das chaves para o sucesso na redação. Seu filho pode ter ido muito bem na prova, mas basta uma falha de interpretação dos textos de orientação da redação para fugir ao tema, zerar a prova e adiar em mais um ano o ingresso no ensino superior.

Para que seu vestibulando alcance as melhores pontuações, selecionamos algumas dicas de aplicação prática dos conceitos que compartilhamos neste post. Confira!

Exercite o pensamento crítico em conjunto

Para estar bem preparado para redigir uma boa redação no dia da prova, o ideal é exercitar a escrita ao menos uma vez por semana. Quer turbinar a qualidade da produção de texto do seu filho? Proponha um exercício conjunto!

No início da semana, sugira um tema e selecione dois textos relacionados. Você pode se inspirar em artigos de opinião de jornais ou outras notícias. Compartilhe o texto com seu filho e estipule um prazo para a leitura. Marque um dia (pode ser um momento na hora do almoço ou do jantar) para conversarem sobre o assunto.

Instigue o debate e, se preciso, faça as vezes de “advogado do diabo” para estimular o aprofundamento de argumentos. Se faltarem dados para embasar as posições, ajude seu vestibulando, levantando informações relacionadas. Vocês podem trocar esses dados até mesmo pelas redes sociais ao longo da semana.

No sábado, proponha uma nova leitura do tema e textos de apoio para que, em seguida, seu filho faça uma redação. Assim que terminar, leia atentamente o que ele escreveu e aponte os seus pontos fortes e fracos.

Essa é uma excelente maneira de participar da preparação do adolescente. Além de mostrar o quanto se importa com o momento pelo qual ele passa, também é uma oportunidade para se conhecerem melhor e ampliarem o diálogo em família. Outras técnicas podem ser aplicadas a esse exercício ou ainda implementadas em diversas atividades. É o que veremos a seguir.

Ensine como identificar a ideia central

Após verificar o tema, é importante ler atentamente os textos de apoio para compreender a ideia central. Oriente seu filho a começar a bateria de provas por essa parte. Assim, enquanto realiza as demais questões, o subconsciente continua a trabalhar, estabelecendo conexões e amadurecendo a interpretação do conteúdo. Depois, é válida uma segunda leitura para confirmar a interpretação do tema proposto.

Separe fatos de opiniões

Extraída a ideia, é o momento de selecionar o que são dados e quais as partes que expressam a opinião do autor. Mostre como os fatos podem ser usados para dar suporte a uma posição. Para explicar como distinguir dado de opinião de maneira simples, apresente a diferença de uma sentença que pode ser comprovada versus a que pode ser refutada.

Levante hipóteses

Incentive seu filho a pensar se concorda ou não com o posicionamento do texto e o que o leva a tais conclusões. Ajude-o a traçar as hipóteses que deverá defender de forma breve em cada parágrafo, em um encadeamento lógico.

Como você pôde ver, leitura e interpretação de texto são, sim, fundamentais no processo de estudo para os vestibulares. E essa é apenas uma das formas com que você pode contribuir para que seu filho aproveite ainda mais suas horas de estudo. Aos pais, cabe o poder de incentivar, instigar e aguçar a curiosidade dos filhos para que busquem sempre mais.

Are reading and comprehension really the key to success in university entrance exams?

Reading and comprehension are complementary activities. When we close one book and open another, we are practicing reading. When we take a few more minutes to understand the meanings of words and their relationship to our lives and the world around us, we are practicing comprehension.

Now, think about it: with the amount of books, notes and exercises that your children read daily at school, it is much more difficult to absorb knowledge by simply skimming over the text, right?

What both parents and children need to understand is that reading and comprehension are indispensable skills for good school performance and, consequently, for success in university entrance exams. How about understanding how to practice both and thus ensure a better performance in your children’s studies? So read on!

THE SECRETS OF READING FOR ENTRANCE EXAMS

By now you probably know that simply attending classes is not enough for your children to get the best out of their studies, right? Indeed, many other details are essential to this end, such as:

• taking notes in class;

• summarizing what was studied;

• reading and rereading summaries and notes aloud;

• studying in quiet environments, conducive to concentration.

You will note something in common in all these tips: they involve reading. That is why, since the early stages of childhood, encouraging reading is key to the development of young people. And later on it is no different!

Comprehending what has been read helps in both studying and taking exams, as the questions become clearer and the mental connections to produce answers are more evident. Therefore, reading and comprehension are indeed the key to success in university entrance exams.

THE BEST WAYS TO DEVELOP READING SKILLS

It is a fact: reading is habit. So the more we practice, the better we relate to words. Not for nothing, it is one of the trump cards for your children to ace writing tests in general. But did you know that, in Brazil, the number of young people considered capable of understanding and expressing themselves through letters and numbers is very low?

According to the Functional Literacy Indicator (Inaf), only 8% of people of working age meet this requirement − which ranges from writing e-mails to producing argumentative and descriptive texts.

What is the best strategy? Making reading a part of everyday life! This alone helps (a lot) to improve this skill, as well as increasing the chances of youngsters achieving even better results in entrance exams.

Therefore, become the link between your children and reading by following some practical tips! Here they are:

Encouragement

Start by introducing books that interest them, whether novels or comic books. Over time, add more variety, including even literature classics. And how about taking the opportunity to add those standard titles of entrance exams?

Current affairs

The world is always bubbling with news, national and international. And newspapers (print or digital) are the great sources of information in everyday life, right? Check whether your children are abreast of what happens outside their home, talking to them about current affairs and encouraging them to seek information they don’t know. After all, there is nothing better than a young person aware of the global reality to face entrance exams!

Vocabulary

Expanding vocabulary is a great step on the way to better reading comprehension. For this reason, a dictionary always at hand is already a shortcut for young people to search for words and synonyms while updating their daily reading. Over time, your children’s repertoire will be enhanced, which is essential for both reading and writing.

HOW READING COMPREHENSION WORKS

With reading firmly rooted in everyday life, it is time to work on comprehension. And as much as this skill arises naturally out of an interest in reading, it can also be improved. The path to improve reading comprehension comprised the following steps:

Pre-reading

There is no point in asking your children to read about the philosophical problems of the sophists, for example, if they have no knowledge about philosophy itself. Therefore, whatever the topic studied, the ideal thing is for youngsters to do previous reading on the subject, which will make a huge difference to comprehension.

Recognition

Knowing a little about the subject in question helps in recognizing it. At this stage, however, your children will come across information that is totally new and information they already recognize.

Comprehension

This is where parents can play a key role. After the reading and recognition steps, you can help your children talk about the acquired information by asking simple questions:

• What is the purpose of this text?

• Who is the audience and why?

• How can you use the information acquired?

• What conclusions did you reach after reading it?

The answers to these questions help stimulate critical thinking, which is essential not only for youngsters taking university entrance exams but in all stages of life. The sooner such information is embedded in your children’s mind, the faster they will learn to apply the habit to their studies.

APPLYING READING COMPREHENSION TO WRITING

As we have already mentioned, reading comprehension is one of the keys to success in writing. Your children may have done very well in the exam, but a single mistake in comprehending the supporting texts can be enough for them not to address the writing question properly, get a low grade and postpone university for yet another year.

For your children to achieve the best scores possible, we have selected some practical tips for applying the concepts we share in this post. Check them out!

Practice critical thinking together

To be well prepared to write a good essay on the day of the exam, your children should practice writing at least once a week. Do you want to boost the quality of their writing? Propose a joint exercise!

At the beginning of the week, suggest a theme and select two related texts. You can seek ideas in opinion articles from newspapers or other media outlets. Share the text with your children and set a deadline for reading. Set a day (it may be at lunch or dinner time) to talk about it.

Instigate the debate and, if necessary, play “devil’s advocate” to encourage further discussion. If there is a lack of data to support opinions, help them by collecting related information. You can even exchange these data via social media throughout the week.

On Saturday, propose a new reading of the topic and supporting texts for your children to write an essay. Once they have finished, read carefully what they wrote and point out the strengths and weaknesses.

This is an excellent way to participate in their preparation. Besides showing how much you care about the moment they are experiencing, it is also an opportunity to get to know each other better and expand the family dialogue. Other techniques can be applied to this exercise or implemented in several activities. That’s what we’ll see next.

Teach how to identify the main idea

After checking the topic, it is important to read the supporting texts carefully to understand the main idea. Instruct your children to start the exam with that. Thus, while they are answering other questions, their subconscious continues working, establishing connections and maturing the comprehension of the content. Then, a second reading can confirm the comprehension of the proposed theme.

Separate fact from opinion

Once the main idea is identified, it is time to select what is fact and which is the author’s opinion. Show how facts can be used to support a position. To explain how to distinguish data from opinion in a simple way, show the difference between a sentence that can be proven versus one that can be refuted.

Raise hypotheses

Encourage your children to think about whether or not they agree with the author’s position and what leads them to such conclusions. Help them to outline the hypotheses they will have to briefly support in each paragraph, in a logical chain.

As you see, reading comprehension is indeed essential in the study process for entrance exams. And this is just one of the ways you can help your children make the most of their study hours. Parents have the power to encourage, instigate and sharpen their children’s curiosity so that they always seek more.

4 dicas para seu filho se dar bem na redação

A prova de redação talvez seja o mais temido dos desafios que os estudantes precisam enfrentar no finalzinho do Ensino Médio, quando prestam vestibular. E não é por menos! A capacidade de saber se expressar bem pela escrita será cobrada durante toda a carreira do futuro universitário, independentemente da área escolhida.

Com tantos motivos para se preparar com o máximo de cuidado para essa prova, só resta agora ficar de olho nas nossas dicas para que seu filho se saia muito bem e leve à habilidade da escrita para a vida toda! Então vamos conferir?

REFLETIR SOBRE O QUE LÊ

Não é novidade para ninguém que a leitura é essencial para melhorar a escrita, não é mesmo? De fato, quanto mais se lê, mais vocabulário, articulação e familiaridade com a norma padrão da gramática se adquire. Além disso, conhecer pontos de vista diferentes por meio de livros, notícias, artigos e até blogs é essencial para ajudar seu filho a desenvolver outra habilidade fundamental para se dar bem na prova de redação: o senso crítico.

Uma das competências exigidas nas provas é que o estudante saiba formar uma opinião e argumentar para defendê-la. Sendo assim, deixar-se levar pelo pensamento predominante, seja na mídia ou mesmo entre os amigos, provavelmente não será suficiente. Para conquistar uma nota campeã na redação, será preciso refletir e construir um raciocínio que vá além da média, conjugando diferentes perspectivas a respeito do tema para eventualmente chegar a uma conclusão que supere as expectativas.

Levando tudo isso em conta, além de ficar por dentro das atualidades do país e do mundo, é interessante consultar diferentes fontes, debater com pessoas diferentes e estar sempre aberto a pontos de vista que (ainda que distintos e, inclusive, discordantes) ajudem a evoluir ideias e argumentos.

PRATICAR BASTANTE

Tirar a nota máxima na prova de redação de um vestibular não é nada fácil. As dicas de quem tirou total, no entanto, têm um ponto em comum: muita prática e persistência. Alguns chegaram a escrever mais de um texto por semana durante um ano antes do grande dia, tudo para ficarem craques na escrita.

Portanto, independentemente do nível do seu filho quando o assunto é redação, para se aproximar da nota total é preciso treinar muito. Dentro do formato dissertativo-argumentativo, dá para praticar escrevendo sobre os temas dos últimos exames, sobre assuntos em alta na mídia ou mesmo sobre tópicos de interesse pessoal, como uma teoria a respeito de um seriado ou a crítica a um livro.

Depois, é primordial contar com o feedback de um adulto (de preferência, um professor) para entender o que pode ser melhorado e o que deve ser aproveitado nos textos futuros. Dessa maneira, o estudante pode ir se acostumando com o gênero textual cobrado na prova, aprendendo com seus próprios erros e, ainda, aumentando sua capacidade de escrever melhor e em menos tempo.

APRENDER A GERENCIAR O TEMPO

Por falar em tempo, esse é outro aspecto importantíssimo das provas de redação. Isso porque, na hora do exame, seu filho terá que dividir as horas disponíveis para o teste de conhecimento com a escrita da redação. Nesse caso, administrar bem o tempo é imprescindível. E para ajudar nesse desafio, sugerimos que ele:

• Realize simulados completos, reproduzindo os dias de prova, para ter ideia de quanto tempo gasta em cada etapa ao considerar também o cansaço acumulado na maratona;

• Planeje com antecedência (e com base no que observou em seus simulados) quanto tempo pretende gastar em cada etapa do exame, estabelecendo um limite para as questões mais difíceis e deixando uma folguinha para voltar a elas ao final;

• Monte um rascunho do que pretende escrever na redação antes de começar as provas objetivas, de modo a ganhar mais velocidade caso falte tempo no fim.

EVITAR O ZERO

Calma, antes que seu filho se assuste com esta possibilidade e acabe se atrapalhando em função do nervosismo, é bom saber quais são os motivos que podem levar alguém a tirar zero na redação. Assim, além de deixar a folha de resposta da redação em branco, também pode zerar a prova o estudante que:

• Ignorar o tema proposto, escrevendo sobre qualquer outro assunto;

• Escrever um texto que não obedeça ao formato dissertativo-argumentativo (como um poema, uma lista ou uma narrativa);

• Não passar o texto para a folha de redação em caneta preta (deixando a lápis, por exemplo);

• Redigir um texto em tamanho menor ao mínimo solicitado para a prova;

• Desenhar no texto, escrever palavras ofensivas ou trechos desconexos do restante do conteúdo (como nos casos em que certos jovens transcreveram hinos de times de futebol e receitas culinárias na redação), o que podem levar a banca a acreditar que o estudante tem a intenção anular a prova;

• Formular argumentos e apresentar opiniões em desrespeito aos direitos humanos.

Salvo esses poucos erros fatais, não há motivo para seu filho zerar a prova. Com as nossas outras dicas, refletindo para aumentar cada vez mais sua capacidade de argumentação e se dedicando para melhorar suas habilidades, ele com certeza terá grandes chances de conquistar uma boa nota na redação.

Four tips for your child to write well

The writing test of university entrance exams is possibly the most feared challenge that students must face at the end of High School. No wonder! The ability to know how to express themselves well in writing will be required throughout their university life, regardless of the field of choice.

With so many reasons to prepare with the utmost care for this test, it’s a good idea to check out our tips for your child to do well and develop writing skills for life! Ready?

READ AND REFLECT

It is no news to anyone that reading is key to improving writing. In fact, the more you read, the more vocabulary, articulation and familiarity with standard grammar you acquire. In addition, knowing different points of view through books, news, articles and even blogs is essential to help your child develop another key skill to do well in the writing test: critical thinking.

One of the skills required in these tests is knowing how to develop a personal opinion and argue to support it. Therefore, letting themselves get carried away by the mainstream way of thinking, whether in the media or even among friends, will probably not be enough. To earn a high grade in writing, it will be necessary to reflect and develop a reasoned argumentation that goes beyond the average, combining different views on the topic to eventually reach a conclusion that exceeds expectations.

Taking all this into account, in addition to keeping abreast of current events in Brazil and the world, it is interesting to consult different sources, debate with different people and always be open to points of view that (although different and even discordant) help develop ideas and arguments.

PRATICE A LOT

Getting the top grade in the writing test is not easy. The tips from those who aced it, however, have one thing in common: lots of practice and persistence. Some even wrote more than one text a week for a year before the big day, all to become master writers.

Therefore, regardless of your child’s level when it comes to writing, coming close to the top grade requires a lot of practice. For the argumentative essay, one can practice writing on the topics of the most recent tests, hot topics in the media or even topics of personal interest, such as a theory about a series or a book review.

Then it is essential to have feedback from an adult (preferably a teacher) to understand what can be improved and what should be used in future essays. That way students can get used to the type of writing required in the test, learning from their own mistakes and enhancing their writing skills in less time.

LEARN TO MANAGE TIME

Speaking of time, this is another very important aspect of writing tests. That is because, when taking the exam, your child will have to divide the hours available between the knowledge tests and the essay. In this case, managing time well is essential. And to help with this challenge, we suggest that they:

• Take complete mock tests to get an idea of how much time to spend on each part, also considering accumulated tiredness;

• Plan ahead (based on what they observed in the mock tests) how much time to spend on each part of the exam, setting a limit for the most difficult questions and leaving a little leeway to return to them at the end;

• Write a draft of the writing test before starting the knowledge tests to make sure there is enough time.

AVOID A ZERO GRADE

Before your child freaks out with this possibility and ends up getting very nervous, it’s good to know the reasons why someone can get a zero in writing. Thus, in addition to leaving the essay answer sheet blank, the other situations are:

• Ignoring the question and writing about any other subject;

• Not following the format of an argumentative essay (like writing a poem, a list or a narrative);

• Not copying out a final version in black pen (leaving it in pencil, for example);

• Writing fewer words than the minimum requires;

• Drawing in the text, write offensive words or including unconnected passages (such as the students who wrote soccer team anthems or recipes), which can lead the examiners to believe the student intended to cancel the test;

• Develop arguments and present opinions that do not respect human rights.

Apart from these few fatal errors, there is no reason for your children to get a zero grade. With our other tips, reflecting to enhance their capacity for argumentation and dedicating themselves to improving their skills, they will certainly have great chances of getting a good grade in the writing test.

Navegue por assunto

Twitter

Loading...

Recomendamos

Arquivos

Página 1 de 512345