Visite o site do Pueri Domus

Blog do Pueri Domus

Ensino Fundamental I

Alunas da Unidade Itaim criam “Clube do Livro”

clube-do-livro-7

 

Um grupo de alunas do 4º ano do Ensino Fundamental da unidade Itaim resolveu disseminar o hábito da leitura de uma forma diferente e criativa. Elas criaram o “Clube do Livro”, um espaço que funciona como uma espécie de biblioteca da qual se pode participar mediante doação de livros.

 

“Nós gostamos muito de ler e ficamos com vontade de criar um clube. Estávamos com muitos livros em casa e pensamos: por que não troca-los com outras pessoas que também gostam de ler?”, conta a aluna Naomi Gibin Tamura. Além dela, também fazem parte da organização do clube: Maria Manuela Coimbra Serra Fernandes, Beatriz Bandeira Vargas Fernandes, Marina de Paula Valadares e Ana Luísa Almeida Jasmins Dias Farinha.

 

O Clube do Livro fica na casa da Naomi, no Itaim Bibi, e qualquer aluno do Pueri Domus pode participar. Para isso, basta procurar por uma das meninas no 4º ano. A contrapartida para fazer parte é a doação de um ou mais livros de qualquer gênero, em bom estado.

 

“A quantidade de livros que você pode pegar emprestado é a mesma que você doou. Por exemplo, se você doar dois livros, pode emprestar dois durante o mês. Se doar três, pode emprestar três e assim por diante”, explica Naomi. “Mas tem que cuidar como se fosse seu”, pondera.

 

A paixão das meninas pelos livros tem uma explicação. Além do incentivo das famílias, a professora de Português dos 4º e 5º anos da unidade, Fabíola Gomes Pinho Reis, estimula a leitura em seus alunos de várias formas. “Procuro incentivar as crianças mandando sugestões e leio para elas com entusiasmo, pois também gosto de narrativas. No 5º ano, por exemplo, indiquei aos alunos a série ‘Gato Guerreiro’, e eles gostaram tanto que criaram um grupo no Whatsapp para discutir sobre a história. Só quem já tinha lido é que poderia participar, e isso fez com que muitos alunos reforçassem o hábito da leitura”, relata a professora.

Alunos da unidade Aclimação reescrevem a fábula ‘A lebre e a tartaruga’

Os alunos do 2º ano da unidade Aclimação aprenderam sobre a linguagem escrita de uma maneira diferente, divertida e real. Eles reescreveram a fábula “A Lebre e a Tartaruga” e criaram a própria moral da história com base em suas percepções e pelas situações de repertório deste tipo de gênero literário.

 

A lebre e a tartaruga (2)

 

O projeto foi realizado nas aulas do contra período pela professora Yara Fernanda Lourenço, com coordenação de Léia Costa. “O projeto teve como finalidade abordar a linguagem escrita levando em conta o propósito do texto, seus potenciais leitores e o gênero ‘fábula’, já trabalhado com esses alunos em sala de aula”, explica a professora.

 

“Por meio da reescrita de uma fábula familiar às crianças, fizemos com que elas se apropriassem da linguagem escrita e do sistema alfabético, além de torná-las cada vez mais autônomas para planejar, escrever e revisar seus futuros textos”, completa Yara.

 

A lebre e a tartaruga (3)

 

As crianças leram a fábula original em conjunto e conversaram sobre o enredo da história, os personagens e o ambiente. Em seguida, ditando o texto à professora, escreveram a história aprimorando questões como pontuação, paragrafação, verbo e sinônimos. Os textos foram lapidados pelos próprios alunos até adquirirem a estrutura do gênero ‘fábula’ de maneira clara e compreensível.

 

“O mais potente deste projeto é que as crianças sabiam que a reescrita seria publicada no Blog do Pueri. Isso os motivou muito, além de os aproximar das práticas de escrita que ocorrem fora do âmbito escolar, em que o escritor conta com um leitor, ou seja, o texto tem um destinatário”, conta Léia.

 

Veja como ficaram as versões das crianças:

 

A lebre e a tartaruga

 

Por Sophia Rodrigues e Rafael Garcia

 

Era uma vez uma lebre e ela viu uma tartaruga quando esse bicho lento estava andando devagar para a casa. No caminho a lebre estava caçoando da tartaruga, e ela falou:

– Você não pode ir mais rápido?

A raposa disse.

– Ela pode ir mais rápido.

A lebre perguntou.

– Vamos apostar uma corrida?

A tartaruga respondeu.

– Eu topo, lebre!

A raposa falou.

– Um, dois, três eeeeeee já!

A lebre correndo que nem o vento e a tartaruga saiu devagar como uma tartaruga. A lebre parou para tirar uma soneca, a tartaruga continuou. Quando ela viu a preguiçosa dormindo falou.

– Melhor não acordá-la.

Então uma mosca chegou voando no focinho da lebre. E ela acordou e lembrou da corrida. Correu como um vento, chegou no rio e já viu a tartaruga bebendo água. A lebre saiu de fininho, pensando na corrida que ela perdeu.

 

Moral: Velocidade não é tudo. Tem outros jeitos de ganhar.

 

A lebre e a tartaruga

 

Por Ana Clara Benassi, Bianca Roncio e Samuel Ramos

 

Num belo dia, os serelepes estavam brincando nas árvores. E a lebre perguntou para a tartaruga.

– Você tem alguma novidade?

– Não. Não tenho nenhuma.

– A lebre tinha uma novidade. E ela perguntou assim:

– Vamos fazer uma corrida?

A tartaruga perguntou:

– Com todos os animais da floresta?

A lebre falou:

– Não só com nós duas.

A tartaruga disse:

– Está bem.

A lebre falou para a raposa:

– A gente vai fazer uma corrida, eu e a tartaruga. Você pode dar o sinal?

E a raposa deu a partida no dia seguinte às cinco da manhã. A lebre estava correndo muito rápido e a tartaruga não viu ela. Mas a lebre de tanto correr, dormiu. A tartaruga passou o animal que estava dormindo e falou assim:

– Melhor não acordá-la.

A tartaruga ganhou a corrida.

 

Moral (por Samuel): Quem corre rápido fica mais cansado. Tem outros jeitos de ganhar.

 

Moral (por Ana Clara): Não importa ganhar, o importante é se divertir.

 

 

A lebre e a tartaruga (4)

Biblioteca da unidade Aldeia da Serra ganha ‘Árvore da Leitura’ e ‘Castelo das Histórias’

A leitura é uma das principais bases para o crescimento e desenvolvimento cultural das crianças. Pensando nisso, o Pueri Domus – Unidade Aldeia da Serra, criou a ‘Árvore da Leitura’ e o ‘Castelo das Histórias’ na biblioteca do Ensino Fundamental I. São projetos que visam estimular nos alunos o interesse pelos livros e pelas histórias que eles escolheram para ler.

 

A ‘Árvore da Leitura’ é um grande painel em formato de árvore, cujos galhos são preenchidos com folhinhas pelas crianças que frequentam o espaço. “Elas emprestam os livros da biblioteca e, no momento da devolução, ao contarem sobre as histórias que leram, ganham uma folha de E.V.A. com o seu nome e o título do livro lido”, explica Noélia Fiuza, responsável pela biblioteca. “Quanto mais livros são lidos, mais folhas o galho ganha e mais bonita fica nossa árvore”, diz.

 

Já o ‘Castelo das Histórias’ é um grande mural em formato de castelo, construído ‘tijolinho por tijolinho’ com E.V.A. Parecido com o que é feito na ‘Árvore da Leitura’, na devolução do livro emprestado, a criança reconhece o personagem principal da história que leu e faz um desenho, que é pendurado no castelo.

 

Foto (6)

 

“Todos devem incentivar as crianças a lerem sem que haja qualquer premiação ou troca. Assim elas acabam lendo pelo prazer que a leitura proporciona”, recomenda Noélia.

 

“A ‘Árvore da Leitura’ e o ‘Castelo das Histórias’ são iniciativas criativas que ajudam as crianças a desenvolverem, desde o início da vida escolar, o importante hábito da leitura”, conclui a Prof.ª Denise Krein, diretora da unidade.

 

Foto (3)

Alunos do Pueri Domus estudam Aedes Aegypti e levam para casa informações de combate ao mosquito

Durante o mês de março o laboratório de Ciências da Escola Pueri Domus, unidade Aclimação, se transformou em uma verdadeira oficina de combate ao Aedes Aegypti. Alunos do 1º ao 8º ano utilizaram o espaço para estudar o tema e descobrir como evitar a procriação do mosquito transmissor da Dengue, febre Chikungunya e vírus Zika. Além do aprendizado, os alunos levaram para casa uma importante missão: compartilhar as informações com a família e engajar todos na eliminação de possíveis criadouros.

 

A aula especial foi preparada pelo biólogo Emerson Cleber Bortolin, responsável pelo laboratório de Ciências da unidade. “Começamos conversando sobre o ciclo de vida do mosquito, explicando que o ovo se torna larva e se desenvolve quando entra em contato com a água, e o que fazer para evitar que a larva se torne mosquito”, conta.

Aula Aedes Aegypti (3)

 

Para preparar as aulas, Bortolin amparou-se nas recentes pesquisas a respeito do tema em institutos nacionais e internacionais, como o Instituto Oswaldo Cruz. Utilizando materiais informativos, vídeos e lousa digital, o biólogo adaptou o conteúdo de acordo com a faixa etária, mas todas as turmas receberam uma tarefa em comum: propor à família que dedique 10 minutos do dia para investigar possíveis focos na própria casa.

 

Top Science

 

A atividade faz parte de um projeto do Pueri Domus, unidade Aclimação, chamado Top Science, que visa disseminar o estudo das Ciências entre os alunos. Ao longo do ano os estudantes trabalharão com um tema científico diferente a cada mês, entre eles: água, poluição, formas de energia, inteligência artificial, etc.

 

“Estabelecemos para 2016 temas geradores que abordem a Ciência de um modo prático e contextualizado para cada faixa etária. Para tal, utilizamos o laboratório como instrumento mobilizador para o envolvimento dos alunos a estes  grandes temas. Desse modo, estreitamos  a ciência à cotidianidade do aluno, permitindo o desenvolvimento do caráter investigativo, tão importante para o desenvolvimento do indivíduo”, explica Hélia Sanches, diretora da unidade.

 

Top Science é um espaço de aprendizagem em que os próprios alunos debatem e elegem os temas a serem abordados durante o ano. “O Aedes Aegypti não poderia deixar de ser o primeiro tema a ser investigado. Muitas descobertas nos aguardam”, diz Hélia.

Aula Aedes Aegypti

Pueri Domus vence categoria do ‘1º Prêmio SEB Mundo Leitor’

Mundo Leitor

 

A Escola Pueri Domus foi vencedora em uma categoria e recebeu menção honrosa em outras três no ‘1º Prêmio SEB Mundo Leitor’, que movimentou todas as escolas do grupo durante o ano, envolvendo gestores, professores e alunos em práticas de sucesso com a utilização dos livros da coleção Linhas da Vida.

 

Entre os trabalhos desenvolvidos com os livros da Série Memórias, o vencedor foi o das professoras Maria do Carmo Cordeiro Pelegrini e Patrícia Nabeiro, da unidade Itaim, que utilizaram o livro Linhas da Vida para uma série de atividades ao longo do ano com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I.

 

“O livro Linhas da Vida propõe uma reflexão sobre a importância de resgatar a memória afetiva. Por saber que, por meio do resgate da memória, podemos suscitar emoções, sentimentos e diferentes situações, foi proposto um trabalho relacionado com tudo o que envolve o resgate da memória e as transformações envolvidas em todo o processo”, explica Maria do Carmo.

 

As atividades realizadas pelas professoras envolveram: leitura; discussões e reflexões em classe; resgate das memórias familiares dos alunos através de fotos; pesquisa e registro de histórias de família; reflexões sobre segredos familiares; finalizando com uma abordagem musical com pesquisa sobre o cantor e compositor Dorival Caymmi, canções e até a gravação de vídeo clipes.

 

Além do trabalho das professoras Maria do Carmo e Patrícia, o Pueri Domus recebeu Menção Honrosa para os trabalhos: “Olhar… Contemplar… Imaginar” (série Viagens) da professora Darlene Evangelista, da unidade Verbo Divino; e “Os sentimentos de cada um” (Série Descobertas) da professora Andrea Gomes de Moraes, da unidade Itaim.

 

O prêmio

 

O prêmio é uma iniciativa do Grupo SEB para contribuir de forma efetiva na melhoria da qualidade da educação básica. O objetivo é valorizar educadores que disseminam práticas de sucesso no estímulo das competências e habilidades preconizados por uma educação orgânica e que fundamenta-se nos princípios divulgados pelo MEC para promover novos olhares na educação brasileira.

 

A premiação foi dividida em duas etapas: a primeira em cada uma das 22 unidades participantes, com centenas de práticas inscritas. Na segunda etapa, foram avaliados os trabalhos de 69 finalistas de todo o país.

De frente com o Pueri – Débora Souza

No “De frente com o Pueri” nossos colaboradores vem nos contar sua trajetória de vida, tanto pessoal quanto profissional. Assim conhecemos um pouco mais sobre os membros da nossa família Pueri Domus. Nesta semana a Débora Souza, telefonista na Unidade Verbo Divino, é quem abre seu diário e nos conta tudo.

 

IMG_6389

 

Há 16 anos começava a história de Débora Souza no Pueri Domus. Uma vaga como Auxiliar de Serviços Gerais era o seu primeiro emprego, após sua chegada de Iassú – Bahia. Com 23 anos na época, ela diz que foi muito bem acolhida pelos colaboradores e alunos, que sempre a abraçam e cumprimentam até hoje.

 

Um ano se passou e Débora foi promovida. Seu novo cargo era telefonista/recepcionista/assistente/ajudante do Pueri Domus de diversas formas. Certa vez, até uma mãe perguntou a ela “Qual seu setor? Vejo seu rostinho sempre em tantos lugares diferentes”. Segundo a Débora ela gosta desse dinamismo, de sempre ajudar no que se precisa, desde os telefonemas até receber os alunos na entrada da escola.

 

Esta baiana chegou a São Paulo com formação em Magistério no currículo e com mais alguns anos, estava formada em Pedagogia. E não para por aí. Seu próximo passo é aprender a falar Inglês, inclusive suas aulas começam a partir do mês que vem.

 

O filho, Rodrigo, estuda no Pueri Domus. Está no 7º ano, muito bem adaptado e cercado de bons amigos, segundo a mãe. Os desejos de Débora mais cultivados no momento são ver o filho formado, terminar seu curso de inglês e continuar a fazer várias delícias na cozinha, que é o seu hobby favorito.

 

“Pueri Domus, Débora, bom dia” essa é uma frase que Débora fala frequentemente, mas o que seu marido, Joilson, não esperava é que ela dissesse isso um dia desses num pulo ao acordar de um sonho. “Você dorme e acorda com o Pueri né” – disse ele e sorriu. Débora sorriu também, por que é isso, para ela o Pueri é sua segunda casa, é uma família.

Primeiro “Todo Olhar” do ano em Aldeia da Serra

Todos os anos a nossa unidade Aldeia da Serra realiza o evento “Todo Olhar”, onde reúne todos os alunos para compartilhar e celebrar conquistas deles próprios e da instituição. Desta vez o destaque foi para alunos, formados em 2014, que conseguiram a aprovação no tão temido vestibular em grandes universidades como PUC, UNICAMP, ESPM, USP e Mackenzie e também pelas ótimas colocações na prova do ENEM que superou 48 posições, desde o ano anterior, garantindo a liderança na região.

 

Para encerrar com chave de ouro tivemos a reinauguração da quadra da unidade, que passou por grandes reformas e neste dia pode ter sua faixa inaugural cortada por um aluno do Maternal II e outro do 3º ano do Ensino Médio. Demais alunos também marcaram seus primeiros gols e pontos, em lances demonstrativos, nas modalidades Basquete, Futsal e Handebol, para dar início as atividades de um longo ano de aprendizado e diversão que ainda vem pela frente.

 

DSC06103 DSC06112

Nossas Estrelas – Carolina Fagundes, a nossa colaboradora musical

10389419_499050523574748_8026597447593569462_n

 

 

“Deep Feeling” ou sentimento profundo, é o que a música e os negócios representam na vida da nossa estrela desta semana, Carolina Fagundes. Assistente do Ensino IB do Pueri Domus (Unidade Verbo Divino), Carol está na música desde que se entende por gente, tendo como influência seus pais, que são músicos, e a vocação que nasceu com ela.

 

Em 2010, Carolina se formou em Canto, mas já carregava consigo técnicas de saxofone que aprendeu na igreja que frequenta com os pais. Após as aulas, aprendeu também noções de piano, trompete e conheceu o atual marido e sócio Daniel.

 

Sócio? Sim, quando eu disse que “Deep Feeling” também era negócios para Carol, é por que este é o nome da empresa de música e assessoria para eventos do casal. Suas raízes musicais para as festas são MPB, Soul e Jazz, mas se o cliente quiser outro estilo sonoro em sua festa eles o assessoram.

 

É claro que a Carolina não poderia deixar de ter ídolos com belas vozes. Para a nossa Assistente alguns nomes são Ella Fitzgerald, Kirk Franklin, The Clark Sisters, entre outros. “Mesmo quando eu acho que não estou pensando em música eu estou pensando em música, já faz parte de mim” complementa Carol.

 

Tem vídeo da nossa estrela cantando, clica aí no link 😉

http://goo.gl/aJhL2C

 

Navegue por assunto

Twitter

Loading...

Recomendamos

Arquivos