4 dicas para seu filho se dar bem na redação

Postado por Pueri Domus

Seja o primeiro a comentar

A prova de redação talvez seja o mais temido dos desafios que os estudantes precisam enfrentar no finalzinho do Ensino Médio, quando prestam vestibular. E não é por menos! A capacidade de saber se expressar bem pela escrita será cobrada durante toda a carreira do futuro universitário, independentemente da área escolhida.

Com tantos motivos para se preparar com o máximo de cuidado para essa prova, só resta agora ficar de olho nas nossas dicas para que seu filho se saia muito bem e leve à habilidade da escrita para a vida toda! Então vamos conferir?

REFLETIR SOBRE O QUE LÊ

Não é novidade para ninguém que a leitura é essencial para melhorar a escrita, não é mesmo? De fato, quanto mais se lê, mais vocabulário, articulação e familiaridade com a norma padrão da gramática se adquire. Além disso, conhecer pontos de vista diferentes por meio de livros, notícias, artigos e até blogs é essencial para ajudar seu filho a desenvolver outra habilidade fundamental para se dar bem na prova de redação: o senso crítico.

Uma das competências exigidas nas provas é que o estudante saiba formar uma opinião e argumentar para defendê-la. Sendo assim, deixar-se levar pelo pensamento predominante, seja na mídia ou mesmo entre os amigos, provavelmente não será suficiente. Para conquistar uma nota campeã na redação, será preciso refletir e construir um raciocínio que vá além da média, conjugando diferentes perspectivas a respeito do tema para eventualmente chegar a uma conclusão que supere as expectativas.

Levando tudo isso em conta, além de ficar por dentro das atualidades do país e do mundo, é interessante consultar diferentes fontes, debater com pessoas diferentes e estar sempre aberto a pontos de vista que (ainda que distintos e, inclusive, discordantes) ajudem a evoluir ideias e argumentos.

PRATICAR BASTANTE

Tirar a nota máxima na prova de redação de um vestibular não é nada fácil. As dicas de quem tirou total, no entanto, têm um ponto em comum: muita prática e persistência. Alguns chegaram a escrever mais de um texto por semana durante um ano antes do grande dia, tudo para ficarem craques na escrita.

Portanto, independentemente do nível do seu filho quando o assunto é redação, para se aproximar da nota total é preciso treinar muito. Dentro do formato dissertativo-argumentativo, dá para praticar escrevendo sobre os temas dos últimos exames, sobre assuntos em alta na mídia ou mesmo sobre tópicos de interesse pessoal, como uma teoria a respeito de um seriado ou a crítica a um livro.

Depois, é primordial contar com o feedback de um adulto (de preferência, um professor) para entender o que pode ser melhorado e o que deve ser aproveitado nos textos futuros. Dessa maneira, o estudante pode ir se acostumando com o gênero textual cobrado na prova, aprendendo com seus próprios erros e, ainda, aumentando sua capacidade de escrever melhor e em menos tempo.

APRENDER A GERENCIAR O TEMPO

Por falar em tempo, esse é outro aspecto importantíssimo das provas de redação. Isso porque, na hora do exame, seu filho terá que dividir as horas disponíveis para o teste de conhecimento com a escrita da redação. Nesse caso, administrar bem o tempo é imprescindível. E para ajudar nesse desafio, sugerimos que ele:

• Realize simulados completos, reproduzindo os dias de prova, para ter ideia de quanto tempo gasta em cada etapa ao considerar também o cansaço acumulado na maratona;

• Planeje com antecedência (e com base no que observou em seus simulados) quanto tempo pretende gastar em cada etapa do exame, estabelecendo um limite para as questões mais difíceis e deixando uma folguinha para voltar a elas ao final;

• Monte um rascunho do que pretende escrever na redação antes de começar as provas objetivas, de modo a ganhar mais velocidade caso falte tempo no fim.

EVITAR O ZERO

Calma, antes que seu filho se assuste com esta possibilidade e acabe se atrapalhando em função do nervosismo, é bom saber quais são os motivos que podem levar alguém a tirar zero na redação. Assim, além de deixar a folha de resposta da redação em branco, também pode zerar a prova o estudante que:

• Ignorar o tema proposto, escrevendo sobre qualquer outro assunto;

• Escrever um texto que não obedeça ao formato dissertativo-argumentativo (como um poema, uma lista ou uma narrativa);

• Não passar o texto para a folha de redação em caneta preta (deixando a lápis, por exemplo);

• Redigir um texto em tamanho menor ao mínimo solicitado para a prova;

• Desenhar no texto, escrever palavras ofensivas ou trechos desconexos do restante do conteúdo (como nos casos em que certos jovens transcreveram hinos de times de futebol e receitas culinárias na redação), o que podem levar a banca a acreditar que o estudante tem a intenção anular a prova;

• Formular argumentos e apresentar opiniões em desrespeito aos direitos humanos.

Salvo esses poucos erros fatais, não há motivo para seu filho zerar a prova. Com as nossas outras dicas, refletindo para aumentar cada vez mais sua capacidade de argumentação e se dedicando para melhorar suas habilidades, ele com certeza terá grandes chances de conquistar uma boa nota na redação.

Four tips for your child to write well

The writing test of university entrance exams is possibly the most feared challenge that students must face at the end of High School. No wonder! The ability to know how to express themselves well in writing will be required throughout their university life, regardless of the field of choice.

With so many reasons to prepare with the utmost care for this test, it’s a good idea to check out our tips for your child to do well and develop writing skills for life! Ready?

READ AND REFLECT

It is no news to anyone that reading is key to improving writing. In fact, the more you read, the more vocabulary, articulation and familiarity with standard grammar you acquire. In addition, knowing different points of view through books, news, articles and even blogs is essential to help your child develop another key skill to do well in the writing test: critical thinking.

One of the skills required in these tests is knowing how to develop a personal opinion and argue to support it. Therefore, letting themselves get carried away by the mainstream way of thinking, whether in the media or even among friends, will probably not be enough. To earn a high grade in writing, it will be necessary to reflect and develop a reasoned argumentation that goes beyond the average, combining different views on the topic to eventually reach a conclusion that exceeds expectations.

Taking all this into account, in addition to keeping abreast of current events in Brazil and the world, it is interesting to consult different sources, debate with different people and always be open to points of view that (although different and even discordant) help develop ideas and arguments.

PRATICE A LOT

Getting the top grade in the writing test is not easy. The tips from those who aced it, however, have one thing in common: lots of practice and persistence. Some even wrote more than one text a week for a year before the big day, all to become master writers.

Therefore, regardless of your child’s level when it comes to writing, coming close to the top grade requires a lot of practice. For the argumentative essay, one can practice writing on the topics of the most recent tests, hot topics in the media or even topics of personal interest, such as a theory about a series or a book review.

Then it is essential to have feedback from an adult (preferably a teacher) to understand what can be improved and what should be used in future essays. That way students can get used to the type of writing required in the test, learning from their own mistakes and enhancing their writing skills in less time.

LEARN TO MANAGE TIME

Speaking of time, this is another very important aspect of writing tests. That is because, when taking the exam, your child will have to divide the hours available between the knowledge tests and the essay. In this case, managing time well is essential. And to help with this challenge, we suggest that they:

• Take complete mock tests to get an idea of how much time to spend on each part, also considering accumulated tiredness;

• Plan ahead (based on what they observed in the mock tests) how much time to spend on each part of the exam, setting a limit for the most difficult questions and leaving a little leeway to return to them at the end;

• Write a draft of the writing test before starting the knowledge tests to make sure there is enough time.

AVOID A ZERO GRADE

Before your child freaks out with this possibility and ends up getting very nervous, it’s good to know the reasons why someone can get a zero in writing. Thus, in addition to leaving the essay answer sheet blank, the other situations are:

• Ignoring the question and writing about any other subject;

• Not following the format of an argumentative essay (like writing a poem, a list or a narrative);

• Not copying out a final version in black pen (leaving it in pencil, for example);

• Writing fewer words than the minimum requires;

• Drawing in the text, write offensive words or including unconnected passages (such as the students who wrote soccer team anthems or recipes), which can lead the examiners to believe the student intended to cancel the test;

• Develop arguments and present opinions that do not respect human rights.

Apart from these few fatal errors, there is no reason for your children to get a zero grade. With our other tips, reflecting to enhance their capacity for argumentation and dedicating themselves to improving their skills, they will certainly have great chances of getting a good grade in the writing test.